terça-feira, 27 de novembro de 2007

Wings na mesma sala dos Bad Boys

É amigos, o comedor de beldades aqui bem que avisou.
A campanha do Red Wings até o final da excursão ao leste canadense tinha sido soberba.
11-2-1 era de dar inveja.
O time vinha num embalo digno de rei momo descendo em toboágua. Tinhamos o jogador mais quente da liga, numa sequência de pontos infindável. A bonanza já era avistada ao longe, afinal de contas, teriamos uma série de 9 jogos seguidos contra os sparrings da divisão central. A mesma divisão que, por muitas temporadas, foi considerada a mais fraca da liga.

Mas as coisas esse ano mudaram um pouquinho.

O primeiro jogo da sequência foi contra os Predators. Apesar da equipe não-tão-boa como no ano passado e da bagunda referente à localização e posse da franquia, sempre um time encardido de jogar contra. Mas deu Wings 3-2 no SO, após liderar por 2x0 e deixarem os nashvilianos emparatem no terceiro período.

2 dias depois, os quentes Jaquetões Azuis, do femonemo Pascal Leclaire. Mas na JLA não teve boi e metemos 4x1.

Ai amigo, desandou. Pegamos nossa asa negra na temporada até o momento, os Blackhawks. 2 assistências para LangoLango e 2 para Jason "Bourne" Willians, ambos ex-wings. Placar: 3x2 para os BHawks.

Em seguida, os Blues de St. Louis. Uma partida fácil, certo? Certo! 2x0 só no primeiro período. No face-off de início do segundo período, um urubu enorme sobrevoou o Scottrade Center e deu uma bela cagada sobre o time de vermelho e, como todos sabem, cagada de urubu é tiro e queda. Numa das piores atuações de Hasek nessa vida, ele tomou 4 gols no segundo periodo (12/4) e foi sacado. Ainda marcamos um mas, too little too late, 4x3 para o time de "Por Karia". E a sequência mágica de Zetterberg ia pro ralo...

Mas tinhamos a rebarba contra os BHawks. Não seria possível perder a QUARTA partida seguida para os caboclos de Chicago, em plena JLA. Perdemos. 5x3, em uma partida que poderia ter sido facilmente um capitulo de Twilight Zone. Foram 3 gols shorthanded para o Chicago. Sem necessidade de maiores comentários.
Não bastasse perder partidas back-to-back para eles, tinhamos um aproveitamento de 1 ponto em 8 disputados.
Já vi pessoas ligando para o CVV em busca de conforto e um ombro amigo por muito menos.

Nas partidas seguintes o time oscilou.
2 vitórias seguidas, contra os Jaquetas (5x4 no SO) e Blues (3x0, primeiro shootout do time na temporada) e depois 2 derrotas seguidas, para Predators (3x2) e vingança dos Jaquetas, ganhando dessa vez no SO (3x2).

Saldo do período
4-4-1
Gols marcados 29
Gols levados 24

Moral da história?
1- A divisão central, hoje, é a mais forte da liga. Todos os times estão acima do .500
2- Hasek não deve ter feito um plano de previdência, caso contrário já teria se aposentado. Parece que finalmente a natureza humana dominou o dominator.
Campanha de Ex-Dominator: 5-5-1
3- Osgood tem sido uma grata surpresa: atualmente 1º em GAA (1.66), 5º em SV% (.930) e 8º em número de vitórias (10). Talvez não tenha tido mais vitórias por causa do revezamento escroto que o time tem sido obrigado a aturar.
Campanha do Isgood: 10-1-1
4- Temos nosso Rocky Balboa no time: Aaron Downey. Ele pode não ganhar todas, mas entra e bate.

E agora, a sessão multimídia:

Predators @ Red Wings 11/7/07



Blue Jackets @ Red Wings 11/9/07



Red Wings @ Blackhawks 11/11/07



Red Wings @ Blues 11/13/07



Blackhawks @ Red Wings 11/17/07



Red Wings @ Blue Jackets 11/18/07



Blues @ Red Wings 11/21/07



Red Wings @ Predators 11/22/07



Red Wings @ Blue Jackets 11/24/07

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

MORRE, FILHO DA PUTA TCHECA!

EI! HASEK! VAI TOMAR NO CU!




quarta-feira, 21 de novembro de 2007

As três Marias

Essa novela de Dominik Hasek x Chris Osgood já encheu o saco.

Eu sou ignorante. Pra mim, a ignorância é uma virtude.

O meu Detroit Red Wings teria Jimmy Howard como titular e Osgood de reserva, embora entenda o esforço da gerência em manter Howard no Grand-Rapids Griffins acumulando experiência. É sabido que, quanto mais tempo o jogador se desenvolve nas ligas menores, melhor ele chega à NHL.

Mas que esta seja a última temporada em que nosso melhor goleiro (Howard) não jogue por nós. Porque a essas alturas, fosse eu o gerente geral, Hasek estaria na República Tcheca cuidando dos netos — que eu não sei se ele tem, mas a julgar pela idade...

Reconheço todo o histórico de Hasek, tenho ele como um dos três melhores goleiros da história da liga, senão o melhor, mas já chega. E quanto ao Osgood, sinceramente, pra mim ele é um cagão. Está no time certo, na hora certa, porque ele é muito limitado. De vez em quando, como nesta temporada, mostra algum talento. Mas nunca, jamais e em tempo algum sentirei confiança em Osgood no gol do Detroit.

Só estou postando isso nesta manhã de quarta-feira porque, ao pesquisar sobre Rick DiPietro, goleiro do New York Islanders, para o meu artigo de TheSlot.com.br, encontrei as estatísticas da temporada. Vamos lá.

Goleiros com maior percentual de defesas, com no mínimo sete jogos disputados na temporada:

1.º Tim Thomas, Boston, 94,1%
6.º Chris Osgood, Detroit, 92,6%
10.º Manny Legace, St. Louis, 91,8%
31.º Martin Brodeur, New Jersey, 89,4%
39.º Dominik Hasek, Detroit, 85,9%
Total de goleiros na lista: 39.

O cara é o ÚLTIMO! Camisa 39, posição 39!

Vá pra merda, que eu não vou!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Vinte partidas depois...

Senhoras e senhores do meu Brasil varonil...

Eu pedi a palavra para o balanço das 20 primeiras partidas da temporada por um simples motivo: os outros dois calunistas, os outros 420 torcedores da comunidade do orkut e outros 120 milhões de brasileiros estão putos com o time. Com uma certa razão.

De 2002 até a temporada passada a gente tinha um time medíocre, que ninguém acreditava, e que chegou à final da conferência com louor. A gente ficou triste, chorou, brigou, gritou, alguns até esfregaram o cu no asfalto de tanta raiva. Ao contrário disso tudo eu sorri. Sorri porque cada um dos nossos representantes no gelo deram o máximo de si e provaram que a gente tem mais é que torcer. Nós, corinthianos, sabemos mais do que ninguém que o nome das sogras é Esperança. E ela, como já dizia o velho deitado, é a última que morre.

Depois de 20 jogos somos os vice-líderes da liga, atrás apenas do Ottawa Senators (que tem 1 ponto a mais e 2 jogos a menos). Fodam-se eles.

Nós temos uma campanha invejável, com 14 vitórias, 5 derrotas e 1 derrota em SO (29 pontos), o que nos deixa, ainda, 2 pontos à frente do Carolina Hurricanes, que tem um jogo a mais.

A bronca não é ter perdido 6/20. A bronca é ter perdido três pra um freguês antigo, o Blackhawks. Mas assim... será que um time ruim vai ser ruim pra sempre? Muitos de vocês ouviram a expressão Dead Wings. Nossa equipe passou quase 50 anos se um título. Sempre batia na trave ou na bandeira de escanteio. Vai ver o B'Hawks tá nessa emergencia. Têm um time consistente e com velhos conhecidos da nação Alvirrubra, como Jason Fiat, Marinete Lango-Lango, Acolá Cabe Bolinho (o goleiro) e agora temos, também, um algoz: Televisor Sharp de camisa 10 polegadas.

A bronca não é o time. A bronca é este que vos escreve ter chamado atenção para Dominated Hahaha-sek. A bronca é o cara que o Jardineiro, Babacoco e companhia limitada tinha como salvador da pátria.

Pela primeira vez na história da humanidade, desde o livro bíblico Gênese, o Detroit Red Wings levou três short-handed gols em uma só partida. Isso sem falar nos quatro gols em pouco mais de 10 minutos que o #39+3 levou na sua partida passada, obrigando o coitado do São IsGod entrar gripado, melando o puck todo de catarro.

Vocês já viram uma galinha na frente de um carro? Se não viram, vejam o vídeo do jogo contra o BHawks e observem como o Galináceo Hasek se portava na frente do crease. A diferença é que o capacete vermelho o deixava parecido com um galo. Ele é uma galinha.

Queridos. Eu não vou admitir que falem mal do Detroit Red Wings. Falem mal do Hasek, do Babacoco ou até do cara que botou cocaína estragada na garrafinha de cachaça do Dominated. Mas do time não.

14-5-1 não é pra qualquer um. Joguem na milhar que dá na cabeça.


GO WINGS!

domingo, 18 de novembro de 2007

Yellow Wings? Que se fodam!

Pela primeira vez na temporada o Detroit Yellow Wings perdeu três jogos seguidos.

Pela primeira vez em toda sua história o Detroit Yellow Wings sofreu TRÊS gols em desvantagem numérica num único jogo.

Pela primeira vez em sua carreira Patrick Sharp (QUEM?) marcou um hat trick — Sharp pra mim é marca de televisão!

E os Yellow Wings perderam pela QUARTA VEZ em quatro jogos para o Chicago Blackhawks, contra quem no ano passado conquistaram 15 de 16 pontos disputados.

Assisti aos dez minutos finais do jogo e confesso que em toda minha vida nunca vi tanto jogador dos Wings caindo no gelo quanto nesse jogo. Acho que eles entraram com trava de chuteira pra campo seco. Será que ninguém avisou que o campo estava molhado?

Numa dessas, Lidstrom, até ele, caiu feito merda no chão, a Televisão Sharp não saiu fora do ar e meteu o gol da vitória.

CLARO que Dominik Hahahasek não defendeu o disco, como não defendeu nenhum dos outros. Ele não viu 20 vezes o disco e tomou quatro gols, TODOS questionáveis. TODOS.

Eu nunca tinha visto sofrer três gols SH num mesmo jogo... o segundo, o disco veio lá da casa do caralho, ricocheteou nas bordas, ninguém chegou, Hahahasek deu uma rodinha e tomou no rabo.

Os patinadores dos Blackhawks estão para os nossos assim como a McLaren está para o Fiat 147! E ainda tomaram o 600.º ponto da carreira do Robert FDP Lang-don!

Enfim, eu cansei. E amanhã é contra o Pascal Leclaire, e que se foda esse time de amarelão de merda!

Se após o jogo contra os Blues o avião atolou, que dessa vez caia, em cima do Hahahasek! Goleiro filho da puta de merda. Volta pra República Tcheca, desgraçado.


Perdão pelas palavras. É um desabafo.

sábado, 17 de novembro de 2007

Nem o tempo apaga

Impossível não se emocionar com o clipe abaixo.

26 de março de 1997: Bloodybath




Saudades de Darren McCarty.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Viadagem descarada na Divisão Central.

Senhoras, senhores e moçoilas do meu Brasil varonil.

Venho por meio deste post denunciar a esculhambaria (esculhambação com putaria) que está assolando um dos esportes mais viris da história da humanidade: o Hockey sobre o gelo.

Nosso treinador Babacoco tá babando ovo também. Não há outra explicação para deixar BHawks e Blues ganhar da gente. Perceberam? Não? Pois vamos lá...

1. No BHawks temos Marinete e Williams. Marinete saiu de Detroit temporada passada sem fazer porra nenhuma no time. Quer dizer, até fez; ele atrapalhou para caralho - embora eu admita que ele fez um golzinho merreca no final de um jogo que serviu pra aumentar nossas esperanças e agonias. Agora essa rapariga "infeliz das costa-oca".

Já Williams, que não é capaz de garantir um título de F1 na chuva, faz gol no Wings - e no gelo.

Foram três jogos e três derrotas, com apenas um ponto levado para Mo'Town.

2. No Blues temos Manny - O Melhor - Legace. Acho que agora vocês entendem porque eu sou tão fã do cara, né? Pois é... Babaovo deve estar de ruelagem com o MEU Legace. Não é possível. Pelo menos quem se fodeu foi o Hahaha-sek.

Quando eu digo que o Dominado tá velho, que não tem reflexo, que não sabe falar inglês, que precisa de uma bengala, óculos fundo de garrafa, tijolo e cimento pra poder defender pelo menos a honra do time e não levar QUATRO gols no segundo período de um time que tem um trio de Johnsons na escalação, eu sou exagerado, sou filho da puta, não respeito o estatuto do idoso e não sei mais o que. Foda-se!

Quem fabrica o K&Y é? Johnson & Johnson's, que levou o terceiro irmão da família pra botar no cu da gente. Sem lubrificante. Com Vicky e areia grossa, eu diria.

A única justificativa que consigo encontrar é um caso agudo de ruelagem do Babaovo com esses três ex-Wings. Quem sabe, fazendo a vontade desses caras ele pode têlos mais pertinho, né?

E, como numa conversa amistosa com o Haywire outro dia, repito: Antigamente o homossexualismo era proibido. Depois passou a ser tolerado e hoje é normal. Eu vou embora pra lua, antes que seja obrigatório.

GO WINGS, PORRA!

P.S.: Não sou homofóbico, apenas tento achar meios para justificar esse inferno astral pelo qual estamos passando.

Rapidinha.

EI! HASEK! VAI TOMAR NO CU!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Detroit se cagou

Campanha dos Red Wings na temporada:
Contra os Blackhawks: 0-2-1, 16,66% dos pontos.
Contra os outros: 13-1-0, 92,86% dos pontos.

Não se preocupe. O Chicago ainda precisa se classificar aos playoffs para nos enfrentarmos.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

E no final da novela, quem matou a Taís?

Senhoras e senhores do meu Brasil varonil.

Mais uma novela chega ao final que todos tinham a certeza de que não ia acontecer. Sim! Estou falando da novela mexicana, que é rodada nos Estados Unidos, cujos atores principais são um checo e um canadense. Sim! Estou falando da Goleiro Tropical, aquela com longos e cansativos debates e acusações sobre a competência do seu escritor.

Como na Paraíso Tropical, quem matou a Taís não foi a Marion, não foi a Paula, não foi a Bebel ou o Atenor, do grupo Cavalcanti, nem o Jader, muito menos aquele moleque que tinha um Sony Ericsson que tocava uma música que o filho da Lúcia fez. Não, quem matou Taís foi o Olavo.

Isso só foi revelado no final do final da novela e como acabou? Com a morte do nosso (anti)herói. O que, não duvido, será o mesmo triste fim de PoliOsgood Quaresma, que será obrigado a perder o jogo amanha para que a Bruxa do 71 (71% deve ser a média de defesas dele) volte ao gol com força total na sexta-feira.

Sinto muito, telespectadores do meu Brasil varonil, mas creio que amanhã daremos o primeiro tiro no peito do Olavo. E pro Ivan dar o segundo, é só esperar. Entretanto, embora o Olavo tenha sido corno com uma puta, ele comia a Alice, que é uma beldade (e já passou pelo crivo do Fábio Jr).

Ou seja, é melhor comer filet com os amigos que comer merda sozinho.

São Osgood, você é o melhor - até para este que já te chamou de tudo, menos de santo. Amém.


zeh.

domingo, 4 de novembro de 2007

Um grande time é aquele que se pode botar Mula na linha 2 e Siri na linha 3. E, talvez, uma Anta no gol.

É isso aí, senhoras e senhores,

Babacoco vai colocar o Mula na linha dois, com o Filho do Seu Samuel e o Filldapulla. Com isso, Siri vai pra três e vai jogar "com quem for" (palavras do melhor treinador que eu conheci -- depois do Bowman).

O que acontece é que o sucesso da linha 1, com o estilo de jogo quem nem Deus sabe mais se é crash-the-net ou shooting, tanto dado à fase espetaculomenal de Indiana Zetta Jones aliada à consistência de Quasímodo e Homer e dos defensores absurdos que são Lidstrom e o Googly Bear (apelido de Mike Wazowski no Monstros S.A. - que é a cara do Rafalski) pode ser uma possibilidade de cópia pra fazer duas linhas semelhantes, mas não iguais. O Mula, além de ótimo chutador, é um bom screener. Tudo bem que não chega ao esmeril que amola os patins de Homer, mas ele pode alcançar esse avanço absurdo um dia.

Ultimamente vimos a linha 2 fazer uma coisa um tanto diferente no ataque. Os defensores sobem (ou descem) pro slot e os três atacantes ficam na blue line. Não me perguntem porque nem como, mas tem dado certo.

Babacoco também disse que o Siri jogará com Mandrake e quem mais for. Ok, vamos lá... Daniel Cleary? Drapes? Malts? Ellis? Downey? Não sei... o problema, como já disse, é que tem muita gente boa pra muito pouco espaço.

Minha suposição é que Cleary fique na 3, com Siri e Mandrake. Por que? Eu digo. Hudler é um como uma ejaculação precoce, que chega de uma vez e quando você percebe é só alegria. Ele consegue fazer movimentos curtos com a mesma desenvoltura de quem faz largos (vide seu contra o Canucks, onde ele praticamente faz um movimento de 500m de raio no primeiro drible e chuta num movimento de 5mm).

Uma linha como essa, onde Cleary e Mandrake batem bem e também podem articular jogadas por trás do gol, facilitaria a entrada do Siri na toca. É uma boa ideia. Draps, Malts e Ellis que se explodam na quatro. Os dois primeiros não devem estar muito preocupados, pois os contratos foram renovados. A linha 4 vai usar a boa e velha tática padaria: atacar em bolo e defender em massa, com pouco tempo de forno, como quem faz encomendas para uma festa de 15 anos.

Babacoco também declarou que Mandrake deverá ter mais jogos na segunda metade da temporada. Enquanto isso, Downey e Ellis poderão fazer um revesamento, pra desenvolver suas habilidades (palavras do treinador).

E o Anta, provavelmente, vá pro jogo.

Howard, embora tenha treinado com o Wings, deverá ser mandado de volta para Grand Rapids. Isso já era esperado. O que não se sabe é se God'Ozzila começa no banco ou no gol, onde deveria armar uma rede e arrumar duas gostosas pra ficar com ele no crease, uma pra fazer cafuné e a outra pra dar aquele bagulho que eles bebem durante o jogo na boquinha.

A nós, senhoras e senhores, só nos resta torcer pra dar tudo certo e, se o Anta começar, que quebre.


zeh.

sábado, 3 de novembro de 2007

O passeio ao Canadá foi legal, agora é hora de encarar os vizinhos.

Essa semana o Red Wings viajou para o Oeste canadense (com direito a translados pela Stella Barros).
O Oeste canadense, sempre com muito frio e times complicados.
E não é que o mais-do-que-quente Red Wings passou incólume por esse passeio em terras esquimós?


Foram três partidas entre 28/10 e 01/11, com placares de 3-2 contra os Canucks, 2-1 contra os Oilers e 4-1 contra os Flames, com direito a Henrik Zetterberg igualar o recorde de Norm Ullman, nos longínquos anos 60, numa sequência de 14 jogos seguidos pontuando no início da temporada.

Perdeu alguma coisa desse divertido tour?

Melhores momentos Canucks x Red Wings


Melhores momentos Oilers x Red Wings


Melhores momentos Flames x Red Wings


O time vem mostrando regularidade.
O time vem jogando bem defensivamente.
O time vem demonstrando vontade de ganhar, buscando a vitória, mesmo quando ela é magra.
Quanto tempo durará essa fase de ouro? Esperamos que por longo tempo... mesmo com essa semana de folga que o time terá agora (e o risco de Hasek voltar ao gol, como nosso amigo zeh pequeno bem mencionou logo abaixo. Osgood atualmente guarda a singela marca de 14-0-5 nas ultimas 19 partidas em que começou como titular).

O mês que entra é praticamente um mês de jogos caseiros. Os próximos nove embates são contra adversários da Divisão Central. Curiosamente, é justamente contra a Divisão Central nosso pior retrospecto até agora (2 derrotas para os Blackhawks, 1 delas no SO). Ou seja, melhor hora para manter a peteca no alto não há.

"Se as coisas continuarem a dar errado, vou pedir que você pare de ajudar".

Senhoras e senhoras,

Se há algo que eu não tolero é prepotencia. E, para controlar isso no nosso time, Capitão Nascimento poderia assumir o papel de decidir quem joga e quem não joga no Detroit Red Wings.

Esta semana estava lendo o notebook do Ted Kulfan no detnews.com eme deparei com uma entrevista com o Hahaha-sek. Ler suas declarações foi como ter a certeza de que ele, além de velho, está caducando.

"Como Férias, mas eu estou entediado vendo os caras treinando. Tem sido muito tedioso porque eu não posso jogar. Mas estou animado em voltar pra Detroit e entrar no gelo", palavras do nosso goleiro(?).

É simplesmente ridículo ler uma coisa dessas de alguém que já está na liga há tanto tempo e não consegue entender que seu substituto tem sete vitórias em sete partidas e 1,73 de gols sofridos e 93,6% de defesas.

É simplesmente inadmissível que um imbecil desses, que teve apenas dois votos em nossa pesquisa contra cinco do Todo Glorioso Barril de Gatorade, ainda ache que possa ser útil e manter nossa invencibilidade.

É simplesmente inacreditável que os treinadores não percebam que Chris Isgood esteja numa fase felomenal e o deixem no banco contra o Predators, só pra ver qual é a do velhinho prepotente duzói torto.

É simplesmente inconcebível que seja preciso botar um saco na cabeça do Babacoco, Jardineiro e companhia (i)limitada pra que concordem em deixar esse fela no banco (do Griffins).

Estou cansado dessa novela mexicana, com atores checos em fim de carreira.

O título deste post já diz tudo.

Dominated, obrigado por tudo o que você fez por nós, mas a anta, da camisa cujo número tem o ano de seu nascimento, prefere é como diz aquela célebre frase de alguém com grande espírito esportivo: "Se não puder ajudar, atrapalhe. O importante é participar".

GO WINGS!

zeh.

P.S.: Estou aberto a retaliações.


________________
Fotos:
Dominik Hasek: ViewImages.com(Photo by Dave Sandford/Getty Images)
BOPE: (Adoro Cinema Brasileiro)

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Z-Man!

Ele tem a força! Z-Man!

Henrik Zetterberg foi escolhido o jogador do mês de outubro. Nenhuma novidade.

O sueco marcou ponto em todos os jogos dos Red Wings, liderando a liga em gols (dez) e pontos (22).

Se Zetterberg pontuar hoje, contra o Calgary Flames, igualará o recorde de Norm Ullman, estabelecido em 1960, com a maior sequência de pontos em começo de temporada.

Alguém duvida?


EDITADO (02/11, 12h35):
Os Wings derrotaram os Flames por 4-1, em noite de Chris Osgood e... Zetterberg!

Com os dois gols marcados, Z-Man disparou na liderança da liga em gols (12) e pontos (24), igualando o recorde de Ullman que já durava 47 anos.