quinta-feira, 20 de março de 2008

Brad Stuart quebra o dedo em jogada envolvendo Murphy

Todo mundo conhece a Lei de Murphy. Claro que não foi todo mundo que comprou o livro e leu milhares de variantes da Lei de Murphy para os mais variados eventos e acontecimentos, dos corriqueiros aos únicos. Mas a Lei de Murphy original é quase um senso-comum: se algo pode dar errado, dará.

Ultimamente um tipo muito peculiar de Lei de Murphy vem afetando o time de hockey mais famoso dos lados de Michigan: a Lei-de-Murphy-que-sacaneia-jogadores-de-defesa.

É bem verdade que todos os times sofrem com contusões e perdem jogadores mais ou menos importantes e em momentos mais ou menos importantes. Nem podemos nos queixar muito disso pois esse ano tiveram vários outros times bem mais atingidos por contusões.
Contudo, o grande problema do Detroit não é a quantidade. É a concentração.

É só dizer que nossas 3 linhas de defensores já passaram tempo grudando band-aid no corpo nessa temporada.

Porque essa enrolação toda? Oras, pois fiquem sabendo que nossa mais nova (e única) aquisição na data limite de trocas, o ex-Kings Brad Stuart, quebrou o dedo na última vitória contra os jaqueteiros e deve ficar fora do time atéeeee o início dos playoffs, possívelmente perdendo alguns jogos da primeira fase.

Que maravilha. Depois de penar com contusões seguidas de Lidstron, Kronwall, Chelios e Rafalski, nosso reforço pra defesa regaça um dos dedos (o dedo quebrado em questão não foi divulgado).

PO's estão batendo à nossa porta e muitas, mas muitas pessoas mesmo não depositam confiança nesse time para aspirar ao caneco.

E é por isso que eu digo: se no Brasil até o presidente joga sem um dedo, mete o Brad Stuart pra jogar de qualquer jeito!

quarta-feira, 19 de março de 2008

O novo contrato de Cleary

O fã dos Red Wings opinou e definiu que o novo contrato de Dan Cleary é longo e barato, com 50% dos votos.


O novo contrato de Dan Cleary é...
a) longo e caro — 5 votos
b) longo e barato — 8 votos
c) perfeito — 3 votos
d) curto e caro — 0 votos
e) curto e barato - 0 votos

Cleary receberá US$ 2,8 milhões por ano pelos próximos cinco anos.

Esperava-se que o seu salário fosse comparado ao de Patrick Sharp, que arrancou do Chicago Blackhawks quatro anos de contrato e US$ 3,9 milhões por ano.

Porém Sharp é três anos mais novo e marcou quase o dobro de gols nesta temporada. É verdade que a contusão de Cleary o impediu de estabelecer os melhores números de sua carreira, ainda que ele tenha igualado as marcas (20 gols e 40 pontos).

Este blogueiro concorda que o contrato de Cleary tem duração exagerada, assim como 13 dos 16 leitores, mas discorda que o jogador tenha sido mal remunerado.

Cleary tem 29 anos e dois anos atrás era jogador de 15-20 pontos. Ele fez duas boas temporadas pelo Detroit apenas. E foram boas, não excepcionais.

Portanto, o salário dele está caro. Não me importa que outras equipes encham o rabo de seus jogadores de dinheiro. Dentro dos Red Wings, eu não vejo com bons olhos o novo contrato de Cleary.

sexta-feira, 14 de março de 2008

A aposentadoria de Tomas Holmstrom.

Senhoras e senhores do meu Brasil, estou de volta com mais uma buemba!

Tomas Holmstrom está prestes a anunciar sua aposentadoria.

SIM! É MENTIRA!

Mas nem parece ser tão sério quanto parece.

Nosso power-forward sueco está sendo muitíssimo bem substituído por nosso outro power-forward sueco. Johan Franzen, o Mula, tem feito o que todos esperávamos que ele fizesse há uma ou duas temporadas: marcado gols; muitos gols.

- Por quê, tio zeh?
- Porque o Detroit Red Wings, desde meados dos anos 90, tem uma coisa que é a mais bela no hockey no gelo: o estilo crash-the-net-e-foda-se-quem-estiver-na-frente.

Exemplos? Não vou dar nada além da Original Grind Line (Kocur-Draps-Maltby/BigMac) e do próprio Tomas Homer, que, quando chegou no Wings, há 10 temporadas, mais parecia um bezerro coberto com a placenta, tentando ficar em pé.

Era simplesmente sensaciontástico ver Homer com o puck dominado (?) indo pra cima do gol. Se ele chutasse de 9 metros ele atropelava o goleiro; se ele levasse pra tentar uma coisinha mais bonita, ele atropelava o goleiro; se ele tocasse na cara do gol, atropelava o goleiro. Até que lhe deu um estalo.

Homer é um dos meus ídolos no time. E isso desde o começo dos anos 2000, quando eu já dizia que esse cara ia ser estrela. Acertei (de novo).

Homer, talvez, seja o mais respeitado e aterrorizante jogador nessa nova era do hockey. Principalmente em Power Play, quando ele leva uma pá, ao invés do stick, se enterra na frente do crease e fica tentando desviar o disquinho pra dentro do gol.

- Por que talvez, tio zeh?
- Porque ultimamente temos visto o Mula fazer o mesmo.

Com a contusão do Holmstrom, Franzen tem feito o mesmo que o progenitor dessa geração, e o tem feito com maestria, vide seu gol na noite de ontem, 13, contra o Dallas.

Aproveitando a idéia mirabolante do nosso co-autor Cauê Haywire, nossas linhas de powerplay seriam totalmente mudadas.

Na linha 1:
Slot: Homer - Franzen.
Point: Kronwall - Rafalski - Lidstrom.

Na linha 2:
Slot: Franzen - Homer.
Point: Datsyuk - Samuelson - Chelios (Esses três foram os primeiros nomes que lembrei, mas eu, você e sua mãe poderemos estar na blueline, dando tacadas a esmo).


Vida longa ao Crash-The-Net-Blind-The-Goalie.


zeh.

GO WINGS!

Só completando...

Além da acachapante marca de 8 temporadas seguidas batendo a casa das centenas de pontos na temporada regular, com a vitória de ontem os Wings conseguiram manter também outras duas sequências interessantes:

- 17ª aparição seguida nos playoffs.

- 7º título de divisão seguido.

Sobre a 17ª aparição, isso só demonstra como a gerência do time tem se virado bem, mesmo era pós-teto salarial, onde todos imaginavam que times com grandes gastos em salários (como era o caso do Detroit) sofreriam.
Vale lembrar que, apesar do número imenso (atual maior sequência de aparições em playoffs nos esportes estadosunidenses), ainda estamos longe de alcançarmos as marcas do Boston Bruins (29 aparições seguidas nos playoffs - 67/68 a 96/97) e Chicago Blackhawks (28 aparições seguidas - 69/70 a 97/98).

Sobre o 7º título seguido da conferência, a marca recorde de 9 títulos seguidos do Colorado Avalanche (1 como Quebec Nordiques e 8 já como franquia da cidade montanhosa) está bem mais próxima, até porque a empolgação inicial sobre a divisão central esse temporada foi se esvaindo com o tempo e, mais uma vez, mostrou ser uma divisão fraca e desequilibrada (correndo o risco de só ter 1 representante nos PO's). Se continuarmos assim, teremos um novo recorde batido em 2011!

E, como bem disse Humberts: PO's estão à caminho. Preparados??


GO WINGS!

PS: Parabéns ao nosso querido Zé pelo boné usado do Hudler e pelo puck autografado por Brian "Wazowski" Rafalski!

Oito vezes cem?

Resposta: Detroit Red Wings.

Pela oitava temporada consecutiva os Red Wings atingiram a marca dos cem pontos na classificação, igualando o recorde estabelecido pelo Montreal Canadiens no século passado.

A equipe está a caminho de mais um Troféu dos Presidentes, que a NHL deveria renomear para Troféu dos Red Wings. Será a terceira conquista em quatro anos e a quarta em seis anos. Ao todo o Detroit tem cinco troféus em 12 anos.

Claro que o Troféu dos Presidentes não vale nada se não vier acompanhado pela Copa Stanley.


Aproveito o post para informar que nossa missão foi cumprida com a confirmação do retorno de Darren McCarty ao Detroit. Desta forma as estatísticas do jogador, desde janeiro presentes no menu lateral, serão excluídas. A foto ficará até a sua estréia, em uma ou duas semanas.

Obrigado aos leitores que participam das nossas enquetes. O blog não é de quem posta, é de quem participa, seja por comentário, votação em enquete ou simples leitura.

A verdadeira temporada está prestes a começar. Você já pode senti-la?
GO WINGS!

quarta-feira, 12 de março de 2008

A opinião dos torcedores

Foram tantos votos em nossa enquete sobre o futuro de Andreas Lilja que por pouco o sistema do blogger não saiu do ar.

Se você fosse Ken Holland, renovaria o contrato de Andreas Lilja?
Sim, por dois anos = nenhum voto.
Sim, por um ano = quatro votos.
Não, nunca = oito votos.
Portanto, se dependesse dos fãs brasileiros, Lilja não teria futuro em Detroit.

Ontem Ken Holland anunciou a renovação de contrato de Dan Cleary, por cinco anos e US$ 2,8 milhões ao ano. O que você acha disso? Opine em nossa enquete e deixe seu comentário.

terça-feira, 11 de março de 2008

AtuaCleazação



Daniel Cleary renovou com o Detroit Red Wings por mais 5 anos.

O valor do contrato é de 14 milha.

Segundo o Jardineiro Fiel, a contratação levou em conta "sua idade, o que tem feito no Wings nos últimos três anos, sua carreira, de onde ele veio, a habilidade que ele tinha quando era mais jovem - ele gosta daqui, achou um lar aqui e nós queríamos mantê-lo por muito tempo".

Parafraseando o Boberto: In Holland we trust.


zeh.

Go Wings.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Atualiljação

Estive no treino de ontem do Detroit e... mentira. Eu apenas li por aí... :P

Brian Rafalski volta hoje ao gelo. Nicklas Lidstrom pode retornar no domingo. Chris Chelios vai ficar de molho mais algum tempo.

Dominik Hasek será preparado para os playoffs, atuando em dois terços do restante de jogos da temporada regular.

Mas não é nada disso que me interessa agora e nem citei os nomes acima nos tags deste post. O bom de ter um blog é que você pode desabafar e pedir a opinião dos leitores.

Pessoal, o que diabos o Detroit e Ken Holland querem com Andreas Lilja?!

Porque a última notícia por lá é que os Wings vão renovar com ele por duas temporadas.

Já não basta ter revelado essa jóia chamada Derek Meech? Não é suficiente Mike Babcock ter dito na última pré-temporada que não vê a hora de contar com Jonathan Ericsson no time principal?

Eu me pergunto: o que Lilja vai fazer na defesa que conta com Lidstrom, Rafalski, Niklas Kronwall, Brad Stuart, Chelios, Brett Lebda, Meech, Ericsson e até Kyle Quincey? Pra mim ele é o pior dos dez.

Mantendo Lilja os Wings terão que se desfazer de algum dos garotos. Quincey não vai passar a vida inteira no Grand-Rapids Griffins, porque da próxima vez que ele passear pelos waivers, alguém vai requisitá-lo, assim como fizeram com Matt Ellis. E aí os Wings vão perder um bom defensor de graça.

Não é que eu não goste do Lilja. Eu odeio ele mesmo. O cara é péssimo, não nasceu pra isso.

A outra informação é que Holland acertou a duração do novo contrato de Dan Cleary: cinco anos. Não é muito para um atacante de 29 anos que antes de jogar nos Wings era um zé-ninguém qualquer?

Pra mim é demais.