Contagem regressiva para a Copa.

 Contagem regressiva para a Copa.

sábado, 31 de maio de 2008

"One more game"

ESTAMOS A UMA VITÓRIA DA COPA!

Umas imagens valem mais que umas mil palavras.



Que todos que visitam este blog tenham a certeza de que torcem ou devem torcer pelo melhor time de Hockey no Gelo do sistema solar.

GO WINGS!

zeh.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Cobertura da Copa Stanley: jogo 3

Após o brilhante post do Cauê e a excelente menção ao Novorizontino, está no ar a revista nacional sobre hóquei no gelo que traz a cobertura completa do jogo 3 das finais da Copa Stanley.


Alexandre Giesbrecht
A vitória no jogo 3 teria sido uma reação dos Penguins ou um mero endurecimento digno de rigor mortis?

Eduardo Costa
Combinando dureza com classe os Penguins sobreviveram ao jogo 3

Humberto Fernandes
E temos uma série na final da Copa Stanley, após a estréia dos Penguins no jogo 3

Marcelo Constantino
Finalmente um jogo digno de finais da Copa Stanley, sobretudo no terceiro período

Thiago Leal
Chorões, os Penguins finalmente acordam para a decisão da Copa Stanley


E mais: sete artigos traduzidos, incluindo dois de jornalistas do Detroit Free Press.

Você já sabe: leia lá, comente cá.

E a série começou

Senhores, liguem seus motores.

Para quem achava que as finais do mais antigo e tradicional troféu esportivo do mundo começaria no sábado, 24 de maio de 2008, um aviso: as finais começaram ontem. Mas não se culpem. A comissão organizadora da NHL errou também o dia. Os veículos de comunicação idem. Até o Pittsburgh Penguins esqueceu quando devia participar das finais. E a culpa toda foi do time do Detroit.

Como já discutido, os dois primeiros jogos foram passeios. Passeios em branco e vermelho. Mas ontem não.

O time da cidade do aço entrou no gelo com um pouco mais de garra, um pouco mais de urgência, um pouco mais de vontade. Resultado? Jogaram seu melhor hockey nessas finais.

Crosby marcou os 2 primeiros gols do time nas finais e, com mais um do (obscuro) atacante Adam Hall, conseguiram a primeira vitória na série por 3x2.

Na minha visão, tivemos um duelo típico de uma final de Copa Stanley. O jogo foi aberto e se o Detroit tivesse saido da Mellow Arena com uma vitória, seria completamente justificável e merecido.

E justamente por isso eu não entendo o entusiasmo exagerado de parte da torcida pittsburguiense e imprensa idem. Não houve um massacre no jogo de ontem. Não houve uma demonstração de superioridade por parte do time cujas cores lembram o Novorizontino. O Detroit não foi sobrepujado. E Crosby fez uma boa partida, marcando 2 gols, o que não significa que ele seja a reencarnação do messias (basta lembrar que Samuelson fez o mesmo no jogo 1, guardadas as devidas proporções) como muitos cronistas desandaram a escrevinhar ontem e hoje.

É claro que a torcida do Pens tem motivos agora para ter esperanças. A luz no fim do túnel se transformou em um clarão maior com a vitória de ontem. Mas devemos lembrar que nos 2 jogos na JLA o Pittsburgh foi completamente dominado e, na primeira partida em casa, jogou, no máximo, um hockey de mesma intensidade do que o dos Red Wings. Isso demonstra a capacidade do nosso time. Se levarmos em conta ainda que mantemos a liderança da série por 2-1, a derrota de ontem não é motivo de desespero. Pelo contrário, que seja motivo para motivação, para a busca de um jogo melhor, com mais atenção nos detalhes.

E que fique claro: mesmo perdendo, nos recusamos a apelar para desculpinhas sobre a arbitragem (mesmo com marcações duvidosas de penalidades) ou sobre o adversário. Melhor do que saber ganhar é saber perder como homens.

Go Wings!

terça-feira, 27 de maio de 2008

Cobertura da Copa Stanley: jogo 2

Está no ar a edição especial de TheSlot.com.br cobrindo o jogo 2 das finais da Copa Stanley.


Alexandre Giesbrecht
Usando o básico para vencer

Eduardo Costa
A choradeira do Pittsburgh

Humberto Fernandes
Frustrando os Penguins

Marcelo Constantino
Prossegue o domínio do Detroit

Thiago Leal
Valtteri Filppula foi decisivo


E mais seis artigos traduzidos, incluindo um de Mitch Albom.

Leia lá, comente cá!

Não falarei sobre o jogo 2


Não comentarei fatos ocorridos durante o jogo 2 das finais da Copa Stanley, que terminou 3x0 para nosso estimado Detroit.

Não comentarei que Chris Osgood é apenas o 4º goleiro na história a iniciar a final com 2 Shutout's seguidos.

Não comentarei que o placar do jogo no primeiro periodo estava 2x0 para o Red Wings ANTES MESMO do time do Penguins dar um único chute ao nosso gol.

Não comentarei que Valtteri Filppula fez um gol que deixaria muitos ginastas olímpicos constrangidos (não farei comparações com Bobby Orr pois já ficaram manjadas).

Não comentarei a volta de Johan Franzen, saudável e já anotando uma (bela) assistência.

Não comentarei sobre o fato de Pavel Datsyuk, atual ganhador por 2 anos consecutivos (e muito provavelmente de novo nessa temporada) do troféu Lady Byng Memorial (dado ao jogador que melhor combina fair play com talento), prontamente encarar Ryan Malone após um check ilegal de Malone em Henrik Zetterberg, desferido quando a jogada já havia sido paralizada pelo apito do árbitro.

Não comentarei que nossa segunda linha de defesa tem sido absurdamente eficiente, com Niklas Kronwall desferindo trancos majestosos a qualquer pseudo-galináceo que ultrapasse seu campo de visão e Brad Stuart encontrando seu melhor hockey. Em 2 jogos, somados, esses dois jogadores têm +12.

Não comentarei sobre a choradeira do Michel Therrien (treinador dos Penguins), dos colunistas fanfarrões que torcem descaradamente para o time do ícone da "nova" NHL e nem do próprio ícone "Cindy" Crosby. Todos reclamaram da arbitragem, como se esse realmente tivesse sido o fator decisivo do jogo. Talvez prefiram omitir o fato de que o Pens tem jogado um hockey digno da Liga Andina de Hoquei sobre Lhamas pois Crosby = marketing e, poxa, que diabos de marketing teriamos se depredássemos a imagem do "novo Gretzky"?
Pior, nem comentaram a caça aos Wings a partir de meados do terceiro período, onde os jogadores do time das aves-que-não-voam explicitamente tentavam apelar para o jogo físico e checks desleais na esperança de algum abalo emocional (e, porque não, físico) no time de Detroit.

Meu único comentário relativo ao jogo de ontem será a reprodução da resposta de Mike Babcock sobre o que achou do jogo 2 e da vitória por 3x0:

Jogaremos ainda melhor. Estamos empolgados para jogar fora de casa.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Franzen escalado para o jogo de hoje!

Franzen foi liberado pelos médicos e Babacoco, confiando na estrela da Mula, já escalou Johan Franzen para o jogo de hoje valendo a segunda partida das finais da SC.

Apesar de ficar fora por mais de 2 semanas, Franzen ainda mantém a artilharia dos Playoffs, empatado com seu compatriota Henrik Zetterberg (ambos com 12 gols).

Com sua volta é provável o remanejamento de linhas, com Franzen entrando na linha 2 (possívelmente com Filppula e Cleary), rebaixando Hudler para a linha 4 e deixando McCarty no banco.

Não há informação ainda sobre a escalação de Chris Chelios.

Go Wings!

Cobertura da Copa Stanley

Para quem não conhece, TheSlot.com.br é a revista online semanal sobre hóquei no gelo em português.

Como já é tradicional durante as finais da Copa Stanley, a cobertura de TheSlot.com.br deixa de ser semanal e passa a ser quase diária, com uma edição a cada jogo das finais.

A edição sobre o jogo 1, a goleada do Detroit por 4-0, já está no ar desde ontem à noite, com cinco artigos nacionais e cinco traduzidos. Vale a pena a leitura.

Leia lá, comente cá!

domingo, 25 de maio de 2008

Mais 3

O jogo 1 das finais terminou.
Foram sonoros 4 x 0. O placar pode parecer dilatado mas, quem acompanhou ao jogo, sofreu angústias dignas de hitchcock.

De cara, M.A. Fleury caiu de cara no gelo gelado da JLA, como uma recepção nada calorosa.
"Confira comigo no replay", diria o mestre Sílvio Luís.

http://www.youtube.com/watch?v=Oc7kryvcOYo

Após isso, tivemos um primeiro período como há muito não se via numa final de SC. Principalmente as últimas finais, sempre compostas por pelo menos um time espancador. O jogo foi lá-e-cá, mal dando tempo para respirar.
Ai, num PP... GOL DO DETR... ah não, outro gol anulado. O time parece que agora joga com handcap de 1 gol se Holmstrom for escalado.

- Ahhhh vão escalar o Homer? Menos 1 gol!

O lance não foi uma ausência completa de penalidade como foi o lance do jogo 4 em Dallas. Contudo, diria que 75% da anulação do gol foi por fama do Holmstrom e 25% pelo juiz Dan O’Hallora realmente ter visto o lance (ainda mais que tinha o Homer e mais 2 jogadores do Penguins embolados no puck).
Fato é que dessa vez não fez falta, mas até quando teremos que padecer por marcações precipitadas só por causa do estilo de jogo de um dos nossos atletas?

Melhor do que falar dos gols que nos tiram é falar dos gols que marcamos e, nesse caso, o filho do seu Samuel hoje calou a minha boca. Minutos antes da partida eu fazia chacota de seu rebaixamento para a terceira linha (linha essa que já resolveu jogos de PO's em outras ocasiões).
Resumindo, Samuelson guardou os 2 primeiros, depois Cleary guardou um em SH e MVPerg em PP no finzinho, só para aumentar a festa na JLA e nos poucos lares brasileiros conectados a uma providencial rede de streaming.

É claro que isso não quer dizer que os figurões não jogaram nada. Pelo contrário, jogaram demais.
Claro que isso não quer dizer que não precisaremos da ajuda de Franzen. Precisaremos muito e, tomara, ele voltará a jogar na segunda.
Isso não quer dizer também que possamos prescindir de uma boa presença no gol. Pelo contrário, Ozzie mostrou hoje que consistência é mais importante do que defesas fantásticas e que, quando preciso, ele sabe impedir fabulosamente bem que o puck vaze nossa meta.
Isso só prova que, mais uma vez, as linhas de baixo tem completo potencial para decidir um jogo. Essa é a tão falada "profundidade" que o time do Detroit tem e que, por muitos analistas, foi vista com desdém.

Bem vindos à Hockeytown.

sábado, 24 de maio de 2008

Ele está fora

Johan Franzen não jogará hoje na abertura da Copa Stanley 2008.

Mike Babcock comentou a recuperação do jogador, que já treinou com a equipe, porém ainda não foi liberado pelos médicos para atuar. Nos treinos ele não participou de jogadas ríspidas, o que no jogo seria irreal.

Quem também está fora do jogo 1 é Chris Chelios. Babcock pretende manter o time que derrotou o Dallas Stars no jogo 6. Assim segurem-se em suas cadeiras, Andreas Lilja vem aí!

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Santo Agostinho.

"Ter fé é acreditar naquilo que você não vê; a recompensa por essa fé é ver aquilo em que você acredita".


Sim, meninos e meninas do meu Brasil varonil; tenhamos fé.

Depois de longas seis temporadas estamos de volta à disputa da Copa Stanley.
O que isso significa? Que temos a oportunidade de sermos, mais uma vez, coroados como os melhores da NHL, o que pode-se traduzir em "os melhores do hockey mundial" ou, simplesmente, os melhores dos melhores.

Muitos de vocês, estou certo, nunca sentiram o gostinho doce de ver ao vivo seu capitão erguer a taça sobre a cabeça e gritar "É NOSSA, PORRA!". Agora, toda a ansiedade volta e com ela todo o amor e ódio que sentimos pelo nosso esquadrão de aço.

Nossos adversários são os Pingüins de Pittsburgh. Ágeis, jovens e, definifivamente, determinados a gravar seus nomes na Copa Stanley.

Porém, há de se ressaltar que do meio pra trás o Pens não é lá esses balaios todos. Sim, podemos listar uns cinco ou seis jogadores realmente extraordinários, mas duvido da capacidade do resto do elenco (opinião própria).

Considerando que o mesmo vale para o Todo Glorioso, teremos, finalmente, uma série de Playoff iniciando-se exatamente onde termina: nas finais da Copa Stanley.

Não tivemos adversários à altura até agora. Estávamos inseguros diante ao Predators, Atropelamos o Avalanche e fomos relapsos frente ao Stars. Agora é a hora da verdade. Agora é a hora do Playoff. Agora é a hora da Copa Stanley.

GO WINGS!!!

zeh.

P.S.: Que, como em 98, levemos o troféu para o Franzen. Ele merece. Com ou sem ele.

Notícias

Primeiro a má notícia, claro.
Existe um rumor circulando em Detroit especulando que Johan Franzen teria algo próximo de um aneurisma, o que ameaçaria não só sua carreira, mas sua vida.

Porém Franzen tem praticado exercícios físicos com o time, como bicicleta. Caso o rumor fosse verdadeiro, isso seria proibido.

A boa notícia é que Franzen está quase liberado pelos médicos e deve atuar nas finais da Copa Stanley, mas provavelmente não no jogo 1.

Então vamos combinar assim: Franzen não joga amanhã para que Darren McCarty garanta seu nome na Copa. E o nosso goleador volta no jogo 2 e assume dali em diante.

É amanhã, galera! Dá-lhe Detroit!

terça-feira, 20 de maio de 2008

Para a Copa e avante!

Ontem o Detroit jogou para matar.

Como deveria ter jogado na quarta-feira. Como poderia ter jogado no sábado. E aí não teríamos Estrelas no céu pra contar.

Playoffs. O gol de Kris Draper é um típico gol de pós-temporada, de batalha em frente ao goleiro, um momento de tensão até a comemoração. Um gol típico, exceto por ele ter desviado o disco com o rosto, perdendo três dentes.

Playoffs. É nesta fase que certos jogadores aparecem, como ZetterDrake (Dallas Drake), autor do terceiro gol e que colecionou também uma assistência, um tranco maravilhoso em Stephane Robidas e alguns chutes bloqueados.

Playoffs. Onde Pavel Datsyuk amarelava, onde os Yellow Wings prevaleciam sobre o Esquadrão Vermelho, onde Mitch Albom traçava suas tristes e trágicas linhas sobre os fiascos do Detroit. E agora, Albom? Estamos na final.

Encerramos a corrida cagática dos Stars, agradecendo a eles por facilitarem o nosso caminho, eliminando Anaheim Ducks e San Jose Sharks da disputa.

E vamos para a COPA!

Que inicie-se a Marcha dos Pingüins rumo ao vice Campeonato.


DETROIT RED WINGS
Campeão da Conferência Oeste 2007-08

segunda-feira, 19 de maio de 2008

História...

Na história da NHL, 155 séries começaram com um dos times vencendo os três primeiros jogos. Red Wings e Stars já estão em raro território indo a seis jogos. Veja como as outras 155 séries terminaram:

100 vezes em quatro jogos
43 vezes em cinco jogos
7 vezes em seis jogos
3 vezes em sete jogos com o time que vencia por 3-0 vencendo
2 vezes em sete jogos com o time que perdia por 3-0 vencendo

As duas vezes que o time que perdia por 3-0 reverteu o placar foram em 1942 (Toronto sobre o Detroit na final da Copa Stanley) e 1975 (NY Islanders sobre o Pittsburgh na segunda rodada). Trinta e três anos entre as duas ocorrências e 33 anos desde a última vez em que ocorreu.

domingo, 18 de maio de 2008

Sem piedade!

"Aegroto dum anima est, spes est". Significa: "Enquanto uma pessoa doente estiver consciente(ou enquanto reagir), ainda há esperança." Esse provérbio latino não serve para os Red Wings, ele é de uso exclusivo dos Stars nessa, agora, série. E nesse contexto deveríamos ser os vilões. Se o inimigo respira e está ao nosso alcance, devemos deixar de lado pudores e atos filantrópicos. Dallas deveria estar agora sob os cuidados de um patologista, ou até mesmo tendo seu interior analisado por um grupo de estudantes de medicina de la Universidad Nacional Autonoma de Mexico, que é para onde os cadáveres de indigentes texanos são enviados.

- Tio Eduardo?!
- Fala guri!
- Os Wings estão com 3-0 na série! Dallas tem chance?
- Claro que não! Os rancheiros já eram...

...

- Tio Eduardo?!
- Tu de novo piá! Diz ae!
- Os Wings estão com 3-1 na série! Dallas tem chance?!
- Claro que não! Vamos jogar na JLA e Turco é nosso freguês...

...

- Tio Eduardo?!
- Ahm
- Os Wings estão com 3-2 na série! E vão jogar fora de casa e o momento é ... (POW!PLOOFT! PLEC!!CABUM! BUAAAAAAA!)
- Cala a boca filha da p%$$#¨&*&uta!

Após o inexistente interferência de Tomas Holmstrom, que nos esfriou no jogo quatro, tivemos a oportunidade de garantir nossa vaga na final em nossos domínios nesse último sábado. Duas desastradas trocas de linha - uma delas beirando a estupidez por parte de Chelios - e um Turco como nunca vimos em Michigan, e temos agora fantasmas rondando a antes impenetrável confiança vermelha. De 3-0, para 3-2. De fácil para dramático. O momento mudou de lado.

Apenas duas vezes na NHL uma equipe foi bizarra o bastante para desperdiçar uma vantagem de 3-0 em uma série. A 1ª em 1942 - quando fomos as vítimas -; a 2ª em 1975. Uhm, posso nunca ter tirado uma nota superior a 6.0 em Matemática, mas de 1942 para 1975; e de 1975 para 2008... intervalos de 33 anos. Apesar de ter sempre lutado contra os que chamam nossa sagrada instituição de "amarelona", estamos dando combustível para a parte do mundo que vive na ignorância ( os que não torcem pelos Wings).

E até consigo visualizar a confiança que embebeda os torcedores dos Stars agora:

- ¡PAPA!
- ¿Que pasa Boludo?
- ¿vamos a ganar los putos Wings papa?
- ¡Por supuesto hijo! ¡Ellos son los yellow Wings y tenemos el Turco Bueno!
- ¡Gracias papa, ahora me voy a tirar el leche del becerro muy contento!

Mas nada disso acontecerá. Ainda temos um Match Point. E não podemos pensar em não aproveitá-lo. Em caso de "Deuce", teremos um jogo sete em casa e vale lembrar nossa torcida é tão jovial quanto Chelios e é composta de profetas do apocalipse, como meu ex-colunista predileto Mitch Albom.

O jogo seis será o mais importante de nossas vidas. Que dessa vez os Wings enfiem o punhal até que o último suspiro rancheiro seja escutado.

"Para obter a vitória definitiva, é preciso ser cruel."
Napoleão Bonaparte

Que sejamos vilões eficientes, frios e calculistas no jogo seis.

Bônus Track: Dallas James Drake, obrigado pela magia (?)!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Flyers Brasil

Eu não gosto dos Flyers, mas também não desgosto. É um time indiferente e eternamente perdedor.

Mas há duas coisas que precisam ser ditas sobre os Flyers:
I. A virada da equipe, de lanterna da última temporada, a finalista de conferência este ano, entra para a história.
II. A vitória no jogo 4, especialmente a briga no fim e a perseguição a Sidney Crosby, é tudo que nós queríamos. Que se repita no jogo 5 e se possível no jogo 6.

A final da Copa Stanley será Detroit x Pittsburgh. E leia TheSlot.com.br.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Fortaleza, 14 de maio de 2007.

Não. Não estou ficando louco.
Sei que hoje é dia 15 de maio e que estamos em 2008.

Ironicamente, há um ano exato, escrevi um post que dá pra usar aqui perfeitamente. Vou cortar algumas partes (que falam de brigas) para vocês verem que não mudou praticamente nada de lá para cá.

"Engraçado...

Eu não tenho memória muito boa, mas eu tenho quase certeza de que nestes POs a gente tem visto pênalti atrás de pênalti. É tanto pênalti que têm jogador que nem entra mais no gelo. O treinamento dos times deve ser feito em duas etapas e nada mais: matando pênalti e jogando em pênalti. Tem sido o PO dos times especiais.

Era como se dissessem: "Ei! você marcou errado. Eu vou marcar outro pra ficar tudo beleza". É isso aí, aqui e lá, juiz compensando erro.

O que realmente chateia em pós-temporada é que os jogadores não podem jogar, uma vez que os enforcers - e até os criativos - não podem "enforçar". E há muito tempo eu tenho ouvido essa história de que essa rédea curta é contra os caras que não querem jogar e para deixar o jogo mais rápido e justo. Não quer jogar, bebê? Vai pro pêbê.

Peço desculpas, meninos e meninas, só estou um pouco chateado.

GO WINGS!"

A diferença é que agora vai ser em 5. Com juiz fodendo ou não.

Pra completar a informação, leiam:
O post do tio zeh no dia 23 de outubro de 2007.



zeh.

Fantasma

Não sou eu que vou dizer que o Detroit foi roubado ontem.

Apenas leia Mitch Albom.

E mande o juiz do jogo de ontem e o comissário que estava na arena pra puta que pariu nas suas orações de hoje à noite.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

terça-feira, 13 de maio de 2008

Parik Datstterberg & Henvel Zettersyuk

Vamos lá, senhoras e senhores do meu Brasil varonil, vamos à parte q interessa, vamos falar um monte de besteira!

Henrik Zetterberg, o sueco tem 18 pontos nos POs, é o líder da Liga.

Pavel Datsyuk, o russo tem 17 pontos no POs, é segundo na Liga.

Henrik Zetterberg, o sueco tem 9 gols nos POs, é o segundo na Liga.

Pavel Datsyuk, o russo tem 8 gols nos POs, é o terceiro na Liga.

Onde quero chegar? Na Copa Stanley.

Pavel Datsyuk, mais que nunca, está provando ao Humberto que ele não é, mais, amarelão em POs. Ontem, numa partida impressiontástica no jogo três das finais da conferência, Quasimodo conquistou seu primeiro Hat Trick na carreira de NHLer, que se iniciou em 2002 (quando foi campeão da Copa, dividindo linha com Brett Hull, que tem assistido aos jogos dos camarotes como Co-GM do Falling Stars).

Henrik Zetterberg está, simplesmente, humilhando o time dos rancheiros-retardados-texanos. Suas apresentações têm sido fenomenais desde a primeira rodada, contra o Predators, especialmente do jogo cinco daquela série para cá.

Com os Euro-Twins temos tido, com certeza, uma das melhores duplas de atacantes da Liga, e, o mais importante, que desempenham muito bem o papel defensivo (vide o quinto gol do Dats ontem, depois da roubada de puck do Zetta).

Detalhe importante, que não importa tanto: nos jogos dois e três desta série, o maior goleador dos POs, batedor de recordes da liga e da franquia não esteve no gelo. Quer dizer, esteve no gelo, mas não jogando.

Johan Frozen, digo Franzen, parece não fazer falta ao time. Mentira, claro que faz. Mas é na ausência de um dos melhores que os regulares se sobressaem, vide Helm, Draps, Drake, Filps, Sammy...

E o que dizer de Chris Osgood?

Uma varrida contra os retardados rancheiros-retardados-texanos e vencendo os dois primeiros jogos em casa nas finais da SC (contra o Penguins) e teremos nosso goleiro Hall-Of-Famer mandando o recorde de Patricia Roy para as cucuias.

Batendo recorde ou não, podem ter certeza, que esta será a segunda Copa assinada por Ozzie como titular. 10 anos depois da primeira.

- Tio zeh, e agora o que a gente faz?
- Ah... eu vou cortar as unhas dos pés e fazer uma esfoliação e uma hidratação na careca. Vocês fazem o que quiser. A conferência é nossa.


zeh.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

E o Detroit ganhou do Dallas...

... mas eu não me refiro aos jogos 1 e 2 das finais da Conferência Oeste.

Na disputa pelo jogador mais cobiçado da próxima temporada, o sueco Fabian Brunnstrom, o Dallas Stars levou a melhor, derrotando o Detroit Red Wings na disputa final.

"Se o Detroit perdeu, o que diabos está escrito no título?!"

Que o Detroit ganhou do Dallas. Primeiro porque (opinião pessoal) eu não confio no talento do Brunnstrom mais que confio no talento (!) do Boyd Devereaux. Segundo porque o Detroit respondeu, dias depois, assinando com Ville Leino.

"Ah, sim, o grande Ville Leino. Quem?"

Leino. Segundo um jornalista finlandês, que trabalha na Suécia, Brunnstrom não era o jogador mais quente da Europa, era Leino.

O atacante de 24 anos foi eleito o MVP da liga finlandesa atuando pelo Jokerit Helsinki, com 28 gols e 77 pontos em 58 jogos. Nos playoffs, Leino marcou 19 pontos em 14 jogos, enquanto seu "concorrente" Brunnstrom teve apenas uma assistência em 12 jogos. A liga sueca é mais difícil, mas segundo o jornalista, Leino teria se destacado também por lá.

Leino assinou contrato de um ano e será o segundo finlandês a vestir a camisa do Detroit, se tudo correr bem. E eu confio nos nossos olheiros europeus.

O Detroit ganhou do Dallas. De novo.

domingo, 11 de maio de 2008

Jogo 2: a batalha dos sticks

Por que Chris Osgood estrebuchou no gelo como se tivesse levado um tiro de espingarda?

Por que Mike Ribeiro tentou decaptar Osgood?

Por que Osgood tentou tirar uma lasca da retina de Ribeiro?

Por que Ribeiro não desviou de Osgood?

Por que alguns comentaristas de Hockey (cof cof analistas da ESPN) são imbecis?

São todas essas perguntas especulativas. Nunca saberemos as respostas.
O que sabemos é o que o fim de jogo, ontem a noite em Detroit, pode influenciar no resto da série.

Muitos defendem uma suspensão para Ribeiro, afinal de contas nada justifica usar seu stick como um machado de lenhador contra outro companheiro de trabalho.
Alguns defendem uma suspensão para Osgood também, por mais que ele alegue que não foi proposital. Convenhamos que o teatro que Osgood fez no gelo não foi dos mais realistas (talvez ele tenha mais se assustado com a stickada a poucos centimetros do pescoço do que realmente por dor).

Fato é que a comissão disciplinar da NHL é conhecida por algumas lambanças, principalmente quando o jogador a ser avaliado é um "top player" (e por mais que seja bizarro dizer, Mike Ribeiro é um top player para o Dallas hoje).
É plausível que tenhamos um dos 3 cenários:

1- Só Ribeiro receba uma suspensão (1 jogo ou poucos jogos).
2- Ribeiro e Osgood recebam suspensão (Ribeiro por mais jogos que Osgood).
3- Ninguém receba suspensão e o bicho pega no jogo 3.

Se por um lado Ribeiro é o jogador mais prolífico dos Stars essa temporada (exceto contra o Detroit mas, também, quem do Stars foi prolífico contra nós esses PO's?), por outro Osgood tem dado segurança suficiente no gol, a ponto de não dependermos do inicialmente instável Hasek.

Pra mim? Seria melhor não punir ninguém.

E vale lembrar, de lambuja, que Franzen nem jogou... e é (provavelmente) sem ele que vamos tentar beliscar vitórias na terra dos retardados na próxima segunda e quarta.

Com ou sem suspensões.

Nunca fomos ou seremos time de um só.

Jovens mancebos e mancebas do meu Brasil varonil, o título deste post não é por acaso.

No início da temporada passada não acreditávamos chegar onde chegamos, tendo sido eliminados nas finais da conferência pelo Anaheim Ducks, com nosso time cheio de caras novas, sem conhecermos metade do que conhecemos hoje.

No início desta temporada acreditávamos que chegaríamos, pelo menos, onde chegamos, com a oportunidade de irmos além. E hoje já conhecemos bem todo esse time que nos tem dado tanta alegria dia-a-dia.

Todos nós, eu e vocês, temos uma confissão a fazer: não acreditávamos em Dominik Hasek, tampouco em Chris Osgood.

Porém, com o passar dos jogos, vimos que poderíamos confiar nos dois.

Porém, com o passar de mais jogos, vimos que poderíamos confiar mais em Chris Osgood.

Todos nós, eu e vocês, temos uma confissão a fazer: não desconfiávamos que Johan Franzen fosse quem tem sido.

Porém, com o passar dos jogos, vimos que poderíamos contar com ele.

Todos nós, eu e vocês, temos uma confissão a fazer: achávamos que Pavel Datsyuk e Henrik Zetterberg serias os "astros" que são, mas que, mais cedo ou mais tarde, amarelariam.

Porém, com o passar dos jogos, vimos que poderíamos acreditar nos dois.

Todos nós, eu e vocês (salvo o Dudu), temos uma confissão a fazer: achávamos que o Detroit Red Wings estava transformando-se no New York Rangers, trazendo Dallas Drake pro time, que, junto de Chelios e Hasek, daria, certamente, pra ser um asilo.

Porém, com o passar dos jogo, vimos que estávamos enganados.

Todos nós, eu e vocês, temos uma reflexão a fazer: nosso time, o Todo Glorioso Red Wings, jamais foi time de um jogador só, como. Jamais fomos como o Blues de Gretzky ou o Rangers de Messier. Jamais.

Todos nós, eu e vocês, temos de bater no peito e dizer: não, não torço pelo Fulanovsky, Cicranov, Beltranostrom. Eu torço pelo Detroit Red Wings e por todos os jogadores, treinadores e dirigentes que fazem bater o coração da nação alvirrubra.

Todos nós, eu e vocês, temos de reconhecer o que esse time tem feito e o que ainda pode fazer.
Sem Franzen ou com ele (de preferência), vamos ganhar ser campeões.

-

O que temos visto neste playoff, há oito jogos seguidos, é um time virtualmente imbatível.

Virtualmente porque temos o Lilja e o Chelios (que aqui-acolá esquece que ensinou Matusalém a patinar).

O que temos visto nesse playoff, é um dos melhores times da história da Liga. Que, guardadas as devidas proporções, pode-se aproximar da nossa equipe campeã em 2002.

- Tio zeh?!
- Diga, pequeno 14.
- Eu tenho orgulho de ser Red Wings!
- Eu também, filho. Eu também.

GO WINGS!

zeh.


P.S.: O banner do blog é pela recuperação de Franzen.

sábado, 10 de maio de 2008

Baixa no Detroit

Não conte com os gols de Johan Franzen no jogo de hoje, no próximo e por algum tempo.

A Mula está com dor de cabeça, um claríssimo sintoma de concussão. Franzen vem sentindo as dores desde a série contra o Colorado Avalanche (e marcou nove gols em quatro jogos!). Os médicos afastaram o jogador.

Normalmente um jogador com sintomas de pós-concussão só retorna ao jogo após uma semana sem sintomas. Vamos contar nos dedos.

ESTAMOS COM VOCÊ, FRANZEN!

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Sim! Nosso goleiro é "o cara".

Sim, senhoras e senhores do meu Brasil varonil, nossa seqüência hollywoodiana continua, agora com um novo filme estrelado por goleiros, a diferença é que, desta vez, o nosso também está na fita. E muito bem.

Toda a liga, a imprensa, os torcedores e mendigos vêm falando de Marty Turco.

Como bem disse Humberto Betterberg no post abaixo: "Turco é quem nasce na Turquia". E, por mim, ele poderia voltar pra lá.

A verdade é que apesar de todo esse bafafá sobre o goleiro do Stars, Chris Osood fez ontem sua sétima partida nos POs desta temporada. Chris IsGood conseguiu ontem sua sétima vitória nos POs dessa temporada. Chris IsGod merece ir pro Hall Of Fame no hockey no gelo.

- Por quê, tio zeh? O tio Beto odeia ele.
- Ora, pelo simples fato do cara ser bom. Ele é o cara. E espero que o que estava pintado na pedra do açude de Morada Nova-CE não seja sobre ele ("Eu comi o cu do cara", em letras garrafais vermelhas). E o tio Beto gosta dele sim. Só que ele tem uma maneira estranha de demonstrar o seu amor.

Chris Osgood merece ir para o Hall da Fama sim! Afinal, ele é um dos 9 goleiros na história da NHL a ter 400+ vitórias. 415, pra ser mais exato.

Mas porra, sem comentar essas coisas que vão acontecer dentro de 3 ou 4 temporadas, pensem em tudo o que ele fez.

Temporada Regular:
43 jogos, 27 vitórias (4 SO), nove derrotas e quatro vitórias em tempo extra. Com média de 2,09 gols tomados e 91,4% de defesas.

Playoff (até agora):
7 jogos, 7 vitórias (1 SO - e eu consideraria 3). Média de 1.45 gols tomados e 93,9% de defesas.

Quem é esse tal de Turco? Nem de turco eu gosto.

Prefiro grego. O churrasco grego. O Kebab.


GO WINGS, CARAJO! EM 4 ou 5! Não mais que 6.

zeh.

Sacaneando o jogo 1

Campeonato Mundial de Hóquei: Canadá 2-1 Noruega
Final da Conferência Oeste: Detroit 4-1 Dallas


Não, o Red Wings Brasil não incluiu boxscores em sua página principal. Os resultados foram citados apenas para fazer reflexões: o Detroit destruiu o Dallas, enquanto o Canadá sofreu contra a Noruega; logo, a Noruega é melhor que o Dallas e o Stockholm Red Wings é melhor que o Canadá.

Ontem vimos mais um espetáculo de um time que não vai parar antes de erguer a Copa Stanley. Comemore, fã do Detroit, seremos campeões. Eu garanto. Que um raio caia na cabeça do Eduardo Costa se eu não estiver certo!

Então proponho aqui um pacote de regras anti-Schumacher para a NHL tornar a disputa mais emocionante:
a) toda penalidade do Dallas na verdade gera vantagem numérica para os Stars;
b) toda penalidade do Detroit gera um gol para os Stars;
c) três icing do Detroit em um período vale um gol para os Stars;
d) Mike Babcock não poderá escalar Johan Franzen e Tomas Holmstrom em vantagem numérica, apenas no 5-contra-5.
e) Pavel Datsyuk? Henrik Zetterberg? Dispensados para jogar o Campeonato Mundial de Hóquei. Em seus lugares entrarão Igor Grigorenko e Brent Gilchrist.

Err...

O que o Dallas queria ficando com homens a menos no gelo por cinco vezes em 26 minutos de jogo? O segundo melhor time de matar penalidades da liga (durante a temporada regular) foi engolido pelo esquadrão sueco.

Chris Osgood esteve perfeito e só mesmo Brenden Morrow conseguiu vazá-lo.

Mas vamos ao que interessa. Eu vi dois jogadores do Detroit se atirando no gelo para bloquear chute, algo que nunca combinou com o vermelho e branco sagrado. Nós vimos Niklas Kronwall se apresentar a Antti Miettinen, com seu tranco de visitas. Todo mundo viu Franzen marcar seu 12.º gol nos playoffs e estender sua sequência para cinco jogos, igualando-se a Gordie Howe e Ted Lindsay.

Sete vitórias seguidas, sexta vitória em seis jogos na Joe Louis Arena. E um monte de assentos vazios, segundo "denúncia" de Mitch Albom.

E um idiota na Globo.com escreveu que a torcida do Detroit inovou ao atirar polvo no gelo. A notícia foi escrita e publicada com mais de 50 anos de atraso.

BÔNUS:
Babcock confrontou Datsyuk e Zetterberg contra a linha de Mike Ribeiro, evitando o trio de Brad Richards, que foi seguido de perto por Franzen. Nicklas Lidstrom e Brian Rafalski enfrentaram Ribeiro-Morrow-Lehtinen, enquanto o Dallas não se preocupou e deixou defensores novatos enfrentarem os Gêmeos Europeus do Detroit. E Turco é quem nasce na Turquia.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

As Estrelas são dos Wings

Agora você tem um compromisso para quinta-feira à noite.

O Stockholm Red Wings iniciará sua penúltima campanha rumo ao título contra o Dallas Stars, que ontem despachou o San Jose Sharks na quarta prorrogação do jogo 6. Finalmente um longo jogo de playoffs como ainda não havia acontecido neste ano.

Vocês viram que o blog esfriou na série contra o Colorado Avalanche, mas escrever o quê sobre aquilo? Nós cobrimos pós-temporada, não pré-temporada! Diz-se que o Detroit recebeu bye da NHL na segunda rodada.

Contra o Nashville Predators a história foi diferente. Aquele time sim nos deu trabalho. O Colorado, ex-rival, nenhum. How Swede it its!

Uma pena que se passará uma semana entre o treino 4 contra os Avs e o jogo 1 contra o Dallas. Nós estávamos implacáveis e naquele ritmo ninguém poderia nos deter.

Fica a doce lembrança de 1998, quando despachamos os Stars nas finais de conferência antes de conquistar a Copa Stanley.

Portanto, companheiros de uma paixão única, quinta-feira à noite retornaremos ao gelo.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Oito a dois. Divida 8 por 2 e dá 4. O jogo 4. (Que título mais Avalanchista).

Jovens! A profecia se fez como o previsto. Varremos os canalhas do PlayOff e teremos uns dias de descanso. O que é uma caixa de boné.

- Tio zeh, quÊ diabos aconteceu ontem?
- Só Deus sabe. E, podem ter certeza: ninguém em Colorado, Detroit, Fortaleza, Beverly Hills 90210, Ubá, Macaé, São Paulo, Cabrobró, Petrolina ou na Puta que Pariu é Deus.

Eu ainda não estou convencido de que a partida de ontem foi o jogo 4. Não mesmo. Pra mim foi um treino aberto, um amistoso, entre o Detroit Red Wings e um time da escolinha de hockey de Colorado, para futuros jogadores - com idade máxima de 3 anos.

Foi ridículo. Mas mais que ridículo foi hilário. Eu nem sei se vou torcer mais pelo Red Wings, acho que vou torcer pela Suécia. Só tem sueco no nosso time. E esses suecos vão trazer o caneco. Podem esperar.

Quando o jogo já estava 15 a 1 e eu olhei pro placar e vi que ainda estava no segundo período, pensei: "mermão, se eu estivesse jogando gamão com um cego a vantagem não seria tão imensa". Mas e daí? Tô preocupado? Ô! Minha preocupação é do tamanho do pentelho de piolho de sapo. E, se vocês não sabem, piolho de sapo não tem pentelho. E se tiver é tão grande quanto o orgulho que bastardos têm de torcerem pelo time grená e azul.

Dez anos depois de varrermos algum time (Los Angeles Kings), varremos os bastardos de Colorado. E o mais legal é que na última vez que nos encontramos com os bastardos nos PlayOffs a gente foi campeão (2002), sentando uma doidinha no jogo da eliminação.

"O Hockey é uma caixinha de surpresas".

O pior é que a gente para e fica pensando: "Putzgrila, será que o Franzen vai tomar gosto por Hat-Trick?"; "Putzgrila, será que o Zetta vai conseguir ser melhor que o que tem sido?"; talvez só se deva pensar: "Putzgrila! Eu estou feliz".

Cara, eu não sei o que estou falando. Nem precisa ter nexo. Oito a dois. Hahahaha!
Puta que me pariu! Oito a dois. Ligamos o "Foda-se" e estamos sendo felizes.
Hahahaha! Oito a dois.

- Olha! FOOOOOM!
- O quê?! FOOOOOM!
- Um puck! FOOOOOM!
- Onde? FOOOOOM!
- Na rede! FOOOOOM!
- Não vi! FOOOOOM!
- Outro! FOOOOOM!
- DROGA! FOOOOOM!
Cabeças vão rolar e eu tô pouco me fodendo!

Digam o que quiserem. Usem a desculpa que quiserem. Pra mau fodedor até uzóvo atrapalham.

GO WINGS, PORRA!

zeh.

HOW SWEEP IT IS!


ADEUS AVALIXO!
QUE VENHAM OS PRÓXIMOS!