terça-feira, 28 de setembro de 2010

Novo banner

Assim vai ser.


A logo em nova em 3D, o nome e a foto do nosso lindinho.

Sem frescuras, sem delongas. Puro e seco, como macho!

domingo, 26 de setembro de 2010

Aquele que foi dono da camisa 11

Não é preciso ter muito talento, ser um grande jogador ou marcar muito gols para ter seu nome gravado na memória dos torcedores.

Alguns atletas deixam sua marca sendo apenas medianos, talvez por sua personalidade, ou por seu sacrifício, ou, quem sabe, pela versatilidade.

Mathieu Dandenault era um atacante que virou defensor que voltou para o ataque e depois estava de novo na defesa. Foi Scotty Bowman quem transformou o então ponta-direita em um defensor, mas sempre que preciso Dandenault mudava de posição de acordo com as necessidades do time. Só não foi goleiro.

Pois hoje, depois de 13 anos de carreira, nove deles com os Red Wings, Dandenault anunciou sua aposentadoria.

Foram três Copas Stanley vencidas em Detroit (1997, 1998 e 2002), sendo as duas últimas como titular. Depois do locaute, o jogador assinou com o Montreal Canadiens, o time de sua cidade e que o fez sonhar em ser um jogador de hóquei por toda a infância.

Vou relembrar alguns momentos de Dandenault e espero que vocês completem a lista nos comentários.

O GOL
Eu me lembro de um gol em específico marcado por Dandenault. E não foi pelo gol, mas pela jogada de Steve Yzerman. É uma das mais belas da carreira do Capitão e, se não me engano, foi histórica, como o milésimo ponto ou algo assim. Steve carrega o disco, faz um movimento datsyukniano e, caído, toca para trás para a finalização de Dandenault.

A ASSISTÊNCIA
Não foi um passe propriamente dito, mas Dandenault participou ativamente do gol marcado por Igor Larionov na terceira prorrogação do jogo 3 da Copa Stanley 2002 contra o Carolina Hurricanes. Dandenault salta para não bloquear o chute que Larionov não deu; o Professor, brilhante, preferiu driblar o goleiro e seu próprio companheiro antes de finalizar. Com vídeo.

A LINHA
Dandenault foi parceiro de Steve Duchesne (tão saudoso quanto) nos playoffs de 2002. Era o terceiro par defensivo dos Wings. Outra linha marcante da qual ele fez parte não durou muito, mas recebeu algum destaque à época: era a linha 3D (Devereaux-Datsyuk-Dandenault), formada logo quando o russo chegou a Detroit.

Muito obrigado, Dandenault.

sábado, 25 de setembro de 2010

Um pouco sobre ontem, um pouco sobre Orpik, muito sobre a Liga (post enorme)

Os Wings venceram os 'Hawks por 3 a 2. Os gols foram marcados por Jan Mursak, Tomas Holmstrom (igual 90% dos gols de sua carreira) e Henrik Zetterberg.

Um pouco sobre nossos principais prospectos, já que deu pra ver o jogo:

Brendan Smith é aquilo que sempre falamos, talento, talento e talento. Teve alguns problemas, claro, mas em sua maioria erros comuns a um novato. A velocidade do jogo profissional é muito maior do que está acostumado, por isso levou alguns trancos após segurar o disco por muito tempo e deu passes errados por mirar onde o alvo estava, e não onde iria estar. Esse tem futuro, só falta adaptação.

Tomas Tatár é incrível. Também apanhou um pouco do disco e dos adversários, mas é ótimo. Não é rápido, mas é ágil, mudando de direção com uma facilidade absurda. Criou uma baita chance para Cory Emmerton num passe de trás do gol, numa jogada muito inteligente. Não é grande mas é muito forte e trabalha feito um condenado.

Quem também se destacou foi Jordan Owens. Já não é garoto, veio dos Rangers, mas é um atacante físico defensivo aos moldes de Kirk Maltby. Pode ganhar uma chance no time principal, e vai ter um papel importante em Grad Rapids.

Hoje tem mais um jogo, às 20hs, em Chicago. As linhas estão aqui.

---

Agora o que interessa: sobre o jogo de Quarta-Feira.

Sinceramente, não me importei muito com o tranco de Brooks Orpik em Johan Franzén, afinal Franzén disse que estava bem e que não tinha machucado o joelho, e sim a coxa. Então Franzén disse isto:

"Foi terrível, a jogada mais estúpida que já vi. Merecia uma suspensão".
E Mike Babcock disse isto:
"Gostaríamos que a Liga cuidasse dos joelhos, não vi motivo para aquilo. Obviamente, não acho que foi um tranco limpo. Não acho que ficariam felizes se um de nossos jogadores fizesse isso com Crosby ou Malkin".
E Orpik disse isto:
"É o jeito que eu jogo, isso pode acontecer".
Na mesma Quarta, no jogo entre Chicago e Tampa Bay, o defensor Nick Boynton (CHI) brigou com Blair Jones (TB). Após apartada a briga e enquanto era levado para o banco de penalidades, Boynton fez o famoso sinal da "garganta cortada", movimentando a mão à frente do pescoço, dizendo "vou te matar" para Jones. Resultado: Boynton foi suspenso por uma partida da temporada regular.

Boynton não machucou ninguém. Ameaçou, numa ameaça vazia como tantas vezes nós mesmos fazemos em direção a Gary Bettman ou Dunga. E foi suspenso. Orpik machucou alguém. Machucou uma cara de 29 anos que nunca teve uma temporada completa devido a lesões, principalmente nos joelhos.

Mas claro, Orpik é um Penguin. Assim, como Evgeni Malkin, que não foi suspenso do Jogo 6 das Finais de 2009 após instigar uma briga nos minutos finais do Jogo 5. Sou um torcedor de Detroit, por isso todo mundo ouve minhas críticas com um pouco de desconfiança. Mas a NHL já passou dos limites.

Ano passado o Canadien George Laraque tirou Niklas Kronwall de 36 jogos. Laraque foi suspenso por 5. Em 2008, Pavel Datsyuk e Nicklas Lidstrom não participaram do Jogo das Estrelas, alegando contusões. A NHL discordou e os suspendeu por um jogo. Sidney Crosby também não participou daquele Jogo das Estrelas, e nada aconteceu.

Para fugir um pouco dos Wings, vamos lembrar de Sean Avery, suspenso por 6 jogos após dar declarações impróprias sobre sua ex-namorada.

Sinceramente, que Liga é esta? Faça um gesto, faça piadas de mal gosto, suspensão. Cometa uma penalidade sujeita à suspensão automática, essa será cancelada. -- Arrisque encerrar a carreira de um jogador numa partida de pré-temporada, e nada vai acontecer.

Isso é piada. Eu amo hóquei, mas essa Liga não merece respeito. Gary Bettman fez de tudo para acabar com esse esporte, que hoje é menor do que a Nascar, golfe feminino ou pôquer.

Não sei se vocês sabem, mas duas grandes emissoras (além das locais) cobrem a NHL nos Estados Unidos. Na TV a cabo temos a Versus, um canal novo que não está no pacote de muitas operadoras. A Versus esteve de fora da maior delas, a DirecTV, por muito tempo, até adquirir os direitos do UFC e finalmente se acertar com a DirecTV. A cobertura do canal é por vezes amadora, com comentaristas parciais que não tem lugar numa cobertura nacional. Apesar disso, o canal traz jogos sempre.

Já na TV aberta, as transmissões cabem à NBC. A rede transmite um jogo por semana, escolhendo os adversários (normalmente Pittsburgh, Washington, Chicago e Detroit). O jogo é num horário tosco, muito cedo, sendo a exceção à regra de no mínimo 24 horas entre partidas de um time. A cobertura é horrível, com narradores que não conhecem hóquei (Pierre McGuire, por exemplo), com intervalos comerciais durante o jogo. Além disso, a NBC não paga nada para a NHL, cedendo apenas uma pequena porcentagem da renda com publicidade.

Esses canais foram, após o locaute, os únicos dispostos a transmitir hóquei, então esses acordos estranhos foram razoáveis na época. Mas o locaute já passou faz tempo. Alguns torcedores já pediram que a ESPN voltasse a passar jogos. Um deles pediu para que o jornalista Bill Simmons colocasse a NHL de volta no canal, ao que Simmons respondeu, pelo twitter:
"A ESPN tenta faz dois anos, o Bettman que não quer vender".
Para começar, já digo que Simmons não e tão fã de hóquei, tendo abandonado seus Boston Bruins quando esses trocaram Jason Allison para Los Angeles. Mas Simmons é, apesar do seu estilo escrachado e declaradamente pró-Massachussets, um dos melhores e mais bem relacionados colunistas da ESPN, e não acho que tenha motivos para inventar uma coisa dessas. Além disso, com Bettman tudo é possível.

E claro, mais uma coisa: quando um jogador se machuca, o time deixa de pagar seu salário, sendo este pago por um seguro da NHL. A Liga disse, antes das Olimpíadas, que não pagaria o seguro de qualquer jogador que se machucasse durante o evento. E a controvérsia sobre jogadores nas Olimpíadas voltará à tona nas próximas negociações do novo Acordo Coletivo de Trabalho, em 2012, principalmente porque a próxima edição do evento será na Rússia.

É compreensível que a Liga não queira ver seus jogadores se lesionando num evento não organizado pela NHL, mas isso é ridículo. É só ver pela última edição, principalmente pelos jogos entre EUA e Canadá, que o esporte tem nas Olimpíadas sua maior vitrine. Ameacá-los de perdas financeiras é um jeito sujo de afastá-los de uma competição que agrada torcedores e jogadores, que defendem seus países com unhas e dentes.

Mas ameaçar é típico da NHL. É só ver o que aconteceu neste verão com as negociações do novo contrato de Ilya Kovalchuk. Depois de rejeitar duas vezes o contrato do russo com os Devils, a Liga simplesmente emitiu um ultimato: ou a fórmula de cálculo do impacto salarial seria mudada ou eles anulariam os contratos de Marian Hossa e Roberto Luongo. Depois de fazer os jogadores perderem muito dinheiro com o locaute (um ano parado, restrições contratuais pela implementação do teto, corte de 25% nos salários vigentes à época, descontos anuais nos salários para cobrir prejuízos da Liga), a NHL mudou as regras do jogo no meio do caminho.

Sinceramente, alguém aguenta esse comando da National Hockey League? Tudo é contornável, tudo é passível de uma discricionaridade absurda nas mãos de um comissário (que, vejam só, recebe em torno de $7 milhões por ano), juízes despreparados e um comitê de disciplina que pune brincadeiras e gestos, mas não atitudes anti-desportivas como a de Orpik.

Apesar de tudo isso, o hóquei não para. Consequência da falta de coberturas decentes, a comunidade blogueira da NHL é a mais significativa entre os grandes esportes. Brasileiros recorrem ao Justin.tv para assistir jogos em qualidade nojenta, mas o mesmo acontece com americanos. Muita gente de Detroit tem que procurar sites de streaming para assistir jogos que acontecem à 5 quilômetros de casa.

Ah, hóquei no gelo... você não merece um comissário desses, você não merece uma liga assim...

(Eu sei que 98% do que falei não está relacionado ao lance do Orpik, mas vocês entendem que essa foi a última gota. Pena que esta não foi a última gota, assim como as últimas milhares de "últimas gotas" não foram realmente últimas gotas...)

(Escrevi tudo isso na base do "ouvi falar". Mas que seja, é o que penso)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Jogo! Ao vivo!

Sim, já tivemos um jogo, mas ninguém viu (principalmente o Buttman). Mas hoje tem transmissão, aqui, da partida contra os Blackchickens às 20hs de Brasília.

As linhas de Detroit:

Datsyuk-Zetterberg-Holmstrom, Ritola-Modano-Cleary, Maltby-Helm-Eaves, Owens-Emmerton-Mursak

Lidstrom-Kronwall
Ericsson-Salei
Janik-Smith

Howard (dois períodos), MacDonald

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Rivalidade? Quase lá...

Já tentei descobrir se os Penguins são nossos grandes rivais atualmente. Depois de uma briga bizarra nos comentários, ninguém concluiu nada.

Para tentar inflamar a discussão, o defensor Pinguim Brooks Orpik deu um tranco sujo, joelho no joelho, em Johan Franzén. Não, ninguém viu o lance e não tem replays, afinal o jogo não foi transmitido. Mas um torcedor dos Wings estava no aterro novo dos Pombos-de-Fraque, e isso é o que disse:

"Orpik foi vencido pela velocidade de Franzén. Não acho que o tranco foi intencional no sentido de machucar, mas foi intencional para impedir a progressão de Franzén livre em direção ao gol"
Ok, então não quis machucar. Mas choque de joelhos é uma das coisas mais perigosas que podem acontecer, uma jogada que não cabe em uma liga séria, muito menos em jogos irrelevantes. Não ajuda o fato de Franzén ter problemas constantes com lesões em todo lugar possível.

De qualquer forma, o sueco disse que não foi nada grave e só irá descansar por alguns dias. Assim, a grande notícia relacionada ao tranco foi a retaliação de Todd Bertuzzi. O grandalhão finalmente agiu como aquele de outrora e partiu para cima de Orpik. Do mesmo torcedor: "Ele virou e chegou perto de Orpik já batendo. Ele parecia posuído, acertou alguns bons socos e não deu chances de defesa ao outro".

Não acho que o Tuzzi vai fazer o mesmo na temporada regular, mas já é uma mensagem aos adversários que a impunidade não é mais uma certeza em Detroit.

E sobre o jogo, vitória de 5 a 1 para Pittsburgh. Fuck-se.

Atualização, porque eu estava com pressa e esqueci de falar:

Chris Osgood jogou por dois períodos, sofreu os 5 gols em 27 chutes. Não gostei, não importa se a defesa a sua frente era a dos Griffins. Já Thomas McCollum jogou o último período e parou os 10 chutes que viu.

Também fui besta e esqueci de falar que Derek Meech saiu do jogo com sinais de concussão e vai ficar uns 10 dias de molho (não que vá fazer diferença).E por sinal, Franzén levou no joelho mas o problema é na coxa.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Hóquei de verdade (saco... ainda não)

Hoje tem jogo, inauguração do novo aterro em Shittsburgh. Os Pássaros-Que-Não-Voam vão usar alguns titulares a mais do que o costumeiro num jogo de pré-temporada, tentando evitar uma derrota hilariante.

Durante o verão, os Pinguins colocaram felizes, no twitter, que estavam retirando as faixas do teto daquele iglu bizarro, um processo que deve ter levado uns 5 minutos. E claro que, quando os Wings forem à nova casa daqui uns 5 ou 6 anos, vai levar uma semana para limpar a Joe. Porque isso sim é um time de verdade.

Pois bem, ontem foi encerrado o training camp, com o jogo entre time Vermelho e time Branco. Aqui vai o que aconteceu nesses dias (os elencos de cada time estão aqui):

Dia 18, Time Howe 5-2 Delvecchio
Howe: Zanetti, Zetterberg, Owens, Pare, Holmstrom
Delvecchio: Cleary


Dia 19, Howe 1-3 Lindsay
Howe: Owens
Lindsay: Maltby, Piche, V. Filppula

Dia 20, Lindsay 5-4 Delvecchio
Lindsay: Macek, Abdelkader, Bertuzzi, Miller (2)
Delvecchio: Archibald, I. Filppula, Helm, Cleary

Dia 21, Branco 3-5 Vermelho (elencos)
Branco: Mursak, Cleary, Kindl
Vermelho: Smith, Owens, Tardif, Zetterberg, Helm


---
Para o jogo desta noite, as linhas são (ATUALIZADO: Hudler machucou o pé, não joga):

Franzén-V. Filppula-Bertuzzi
HudlerI. Filppula-Modano-Cleary
Ritola-Helm-Eaves
Miller-Abdelkader-Downey

Stuart-Kindl
Ericsson-Salei
Meech-Lashoff

Osgood (por dois períodos)/McCollum

Esse time que não faria feio numa temporada é o time de pré-temporada. De fora estão Hank, Dats, Homer, Neymar, Lids, Kronner, Howard.

Jogo hoje, às 20hs de Brasília.

Let's go !&@#%@!#$ Red Wings!!!

(só avisando: nenhum canal de tv vai mostrar o jogo, mas a rádio dos Penguins vai transmitir e a AM1270 de Detroit vai distribuir a transmissão para Michigan - mas os narradores serão Pinguins também)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Vermelhos contra Brancos

Dica de última hora do nosso querido leitor Philippe: A Fox Detroit exibirá (na verdade já está exibindo) o jogo entre time Vermelho contra time Branco ao vivo pela internet hoje.


Para assistir CLIQUE AQUI.

sábado, 18 de setembro de 2010

Times de mentira e defesa de verdade

O elenco principal dos Red Wings se juntou aos Griffins em Traverse City para o training camp. Os times que se enfrentarão já estão definidos, e são os seguintes:

Time Howe

Henrik Zetterberg-Pavel Datsyuk-Tomas Holmstrom
Mattias Ritola-Cory Emmerton-Jan Mursak
Francis Pare-Brent Raedeke-Aaron Downey
Jordan Owens-Stephen Johnston-Brooks Macek

Jonathan Ericsson-Ruslan Salei
Doug Janik-Brendan Smith
Marc Zanetti-Greg Amadio

Jimmy Howard/Jordan Pearce

Time Lindsay


Johan Franzen-Valtteri Filppula-Todd Bertuzzi
Drew Miller-Justin Abdelkader-Kirk Maltby
Tomas Tatar-Joakim Andersson-Jamie Tardiff
Andrej Nestrasil-Landon Ferraro-Trevor Parkes/Antonin Honejsek

Brad Stuart-Brian Rafalski
Brian Lashoff-Derek Meech
Sebastien Piche-Sergei Kolosov

Chris Osgood/Petr Mrazek

Time Delvecchio

Dan Cleary-Mike Modano-Jiri Hudler
Kris Draper-Darren Helm-Patrick Eaves
Ilari Filppula-Johnson-Willie Coetzee
Darren Archibald-Louis Marc Aubry-Mitchell Callahan

Nicklas Lidstrom-Niklas Kronwall
Jakub Kindl-Logan Pyett
Gleason Fournier-Travis Ehrhardt

Joey McDonald/Thomas McCollum

---

Daí tiramos as linhas titulares, como esperado:

Zetterberg-Datsyuk-Holmstrom
Franzén-Filppula-Bertuzzi
Hudler-Modano-Cleary
Draper-Helm-Eaves (Miller-Abdelkader-Maltby)

Kronwall-Lidstrom
Stuart-Rafalski
Salei-Ericsson (Kindl)

Howard/Osgood

Pois é, Tio Mike finalmente me escutou e vai mudar as linhas defensivas. Kronwall e Stuart são bons e funcionavam muito bem juntos, mas era uma dupla absurdamente inconsistente. Os dois são malucos e irresponsáveis que adoram sair de posição para dar trancos bonitos, e sempre achei que separá-los seria uma boa ideia. Vamos ver se vai dar certo.

Os times irão se enfrentar nos próximos dias, e a última partida será entre time Vermelho e time Branco, sendo formados com a fusão dos primeiros times.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Garotada Red Winga

Ontem aconteceu a final do torneio de prospectos de Traverse City, o campeonato organizado há 13 anos pelos Red Wings. Apesar de anfitrião, Detroit nunca ganhou o torneio, sendo que desta vez perdeu para o Minnesota Wild na final. Aqui vai um pouco sobre cada jogo.

Dia 11, Detroit 6-1 Dallas

Os gols dos Wings foram marcados por Tomas Tatar, Trevor Parkes, Travis Eardhart (2), Brooks Macek e Louis-Marc Aubry, enquanto o goleiro Thomas McCollum parou 17 de 18 chutes.

Dia 12, Detroit 3-4 (pênaltis) Tampa Bay

Os Wings tiveram gols de Willie Coetzee, Tatar e Parkes. O goleiro Jordan Pearce teve 28 defesas em 31 chutes. A disputa de pênaltis atingiu a bizarra marca de 16 rodadas, com o patético placar de 3 a 2 para o time de Steve Yzerman.

Dia 14, Detroit 2-1 St. Louis

Brent Radeke e Tomas Tatar anotaram para os Red Wings, e Petr Mrazek garantiu a vitória com 28 defesas em 29 chutes.

Dia 15, Detroit 1-3 Minnesota

Não foi desta vez que os Wings levantaram a taça. Sebastian Piche abriu o placar para Detroit, mas o Wild conseguiu virar a partida com 3 gols em cima de Thomas McCollum, que defendeu 22 disparos.

Segundo Ken Holland, apenas o primeiro gol dos Wilds foi defensável. Como já disse antes, George Malik está fazendo a (sensacional) cobertura da pré-temporada no KuklasKorner, e trouxe alguns ótimos comentários, tanto sobre os jogos sobre quanto os prospectos.

Um dos destaques foi Tomas Tatar. O atacante eslovaco é considerado o mais profissional entre os prospectos. Apesar de ganhar dinheiro jogando hóquei, ele parece entender que isso é um trabalho, e que para ser o melhor ele tem que trabalhar duro. Para um jogador que sempre foi comparado com Jiri Hudler, um preguiçoso de mão cheia, esse esforço todo é um alívio para a torcida.

A primeira escolha dos Wings em 2009, Landon Ferraro, parece finalmente ter se encontrado. Enquanto Tatar é um jogador essencialmente ofensivo, Ferraro é um jogador típico de Detroit, forte nas três zonas do gelo. Além disso, ele foi trocado do Red Deer Rebels para o Everett Silvertips, o que parece ter dado uma levantada em sua confiança.

Outra escolha de 2009 (num recrutamento que agradou muito Ken Holland), Andrej Nestrasil, foi bem. Nestrasil sabe usar seu 1.90m de altura e 90kgs, é um asa de força muito habilidoso que gosta de se meter na bagunça ou buscar o disco nas bordas.

Entre os defensores, um dos melhores é Brian Lashoff. Lashoff assinou como agente-livre após não ter sido escolhido no recrutamento de 2008, e diz usar isso como motivação para alcançar uma vaga na NHL. Ele foi o capitão não-oficial do time (os Wings só dão o C ao capitão do time principal), e se fez notar tanto na defesa quanto no ataque. Enquanto a molecada queria sempre fazer o mais difícil para impressionar as comissões técnicas presentes, Lashoff impressionou justamente pelo contrário, fazendo sempre o mais simples e fugindo de confusões (como qualquer bom defensor).

Por outro lado, a jóia da coroa Brendan Smith pode ser relaxado até demais. Enquanto Tatar sabe que é bom e trabalha para melhorar, Smith às vezes parece achar que as coisas vão acontecer naturalmente. Como jogou apenas na faculdade, o defensor ainda está acostumado com alguns segundos a mais para pensar. No hóquei profissional, esse segundo pode significar um tranco acachapante e um disco perdido. Na faculdade Smith conseguia compensar seus erros com uma velocidade impressionante, mas agora ele não é o mais rápido no gelo. Mas o garoto é talentoso, MUITO talentoso, e tudo parece ser uma questão de adaptação a um novo estilo de jogo.

Já no gol as glórias vão para Thomas McCollum, nossa primeira escolha em 2008. Por vezes comparado a Jimmy Howard (e pensar que até ano passado isso era insulto), McCollum é um gigante (1.85m, 90kgs), o que o ajuda muito na hora de fechar os ângulos. Como todo goleiro grandalhão, ele não é tão rápido, mas sua movimentação de pernas está acima da média, especialmente quando precisa ajoelhar para fazer uma defesa. Seu controle de rebotes é 200% melhor do que o de Howard, mas McCollum ainda está na fase de planejar as defesas, o que falta é incorporar isso e parar discos por instinto.

É "só" isso sobre os prospectos, pelo menos os principais. Outros se fizeram notar, como Mitchell Callahan (atacante, uma espécie de Sean Avery bem-educado), Gleason Fournier (defensor, ótimo no ataque, inconsistente na defesa) e Brent Raedeke (um Darren Helm mais forte e lento). O único problema sério foi o de Brenden Kitchton, que foi atingido na mão pelo puck e não poderá participar do training camp principal.

Por sinal, o evento principal começa nesta Sexta, embora o hóquei de verdade só comece no Sábado. Enquanto a garotada quer impressionar os adultos, alguns profissionais precisam garantir seu lugar no elenco. Mattias Ritola quer ganhar a vaga de Drew Miller ou Patrick Eaves, Kirk Maltby e Derek Meech querem se colocar bem na fila para serem chamados ao time de cima (ou trocado, no caso de Meech), e Aaron Downey quer fazer por merecer um contrato (até se colocou à disposição do Toledo Walleye, afiliado de ligas menores dos Wings).

E quem não estará em Traverse City é Andreas Lilja. Ainda sem contrato, Epaminondas foi convidado a participar dos treinamentos do San Jose Sharks, lembrando que o atual treinador dos Sharks, Todd McClelland (não sei se é esse o sobrenome), estava na comissão técnica do Detroit campeão da Copa Stanley de 2008.

Agora é esperar as coisas acontecerem. Está chegando a temporada, finalmente.

Let's Go Red Wings!!!Itálico

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Bota a mão na cabeça que vai começar...

Como disse o poeta, o título acima serve para que possamos nos preparar para mais uma temporada.


O que podemos fazer? Nada. Apenas torcer e torcer para que nossa torcida valha a pena.

Em breve teremos um novo banner, por enquanto fiquemos sem saco, como o galeguim que lá está.

domingo, 12 de setembro de 2010

Em Traverse City

Já está rolando o Torneio de Prospectos em Traverse, evento que antecede o training camp dos Red Wings. Este ano participam Detroit, Dallas, St. Louis, Tampa Bay, Columbus, NY Rangers, Minnesota e Carolina, e a final será na Quarta-Feira.

Na primeira partida da garotada Winga, ontem à noite, vitória por 6 a 1 sobre Dallas, com gols de Tomas Tatar, Trevor Parkes, Travis Eardhart (2), Brooks Macek e Louis-Marc Aubry. Thomas McCollum foi o goleiro e parou 17 de 18 chutes. Hoje o duelo será contra o Tampa Bay Yzermans Lightning.

O evento principal começa na Sexta-feira, com um torneio de golfe beneficente. No Sábado começam os treinos, que seguem até Segunda-feira, quando rola o "jogo" entre time Vermelho e time Branco.

Assim que divulgarem quem está em cada time divulgaremos os "elencos". Quem for bom de Inglês e quiser saber tudo (tudo mesmo) o que está acontecendo, o blogueiro George Malik está relatando tudo no Abel to Yzerman.

E as partidas de pré-temporada começam no dia 22 de Setembro. Nosso aquecimento será contra Pittsburgh (dia 22, fora), Chicago (24, casa), Chicago (25, fora), NY Rangers (26, casa), NY Rangers (29, fora), Toronto (1/10, casa), Toronto (2, fora), Pittsburgh (3, casa). A estréia na temporada regular é dia 8 de Outubro, em casa, contra os Daffy Ducks.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

18 + 14 = 0

Está aí o que você queria!

Além de não se aposentar, Kirk Maltby assinou um novo contrato com o Detroit Red Wings por uma temporada.

O contrato é de "mão dupla", valendo tanto para a NHL quanto para a AHL. Na grande liga, Maltby terá US$ 525 mil de salário, enquanto no Grand Rapids Griffins jogará por míseros US$ 105 mil.

O craque da camisa 18 vai começar a temporada nos Griffins, mas para isso terá que ser rebaixado via Desistência, onde qualquer time pode requisitá-lo.

Com esse salário de AHL, desde já proponho que a arrecadação do H2H2 seja em benefício de Maltby e sua família.

Em outras notícias relacionadas, os Red Wings colocaram o defensor Derek Meech na Desistência. Se ninguém requisitar o miserável, os Griffins terão um baita reforço.

E assim o elenco vai ficando pronto para a estreia daqui a um mês.

ATUALIZAÇÃO: (09/09 às 17h12)
Meech passou ileso pela Desistência e permanece como jogador da organização. Seu destino será Grand Rapids e sua carreira na NHL deu oito passos para trás.

sábado, 4 de setembro de 2010

Criem seu título

Daqui a pouco "tédio" vai superar "Wings", "Liga tosca" e "Helm é Deus" na disputa pelo título de palavras mais usadas aqui no blog.

Que seja... O colunista do NHL.com John Kreiser postou uma lista com o melhor jogador a usar cada número (por exemplo, Gretzky é o maior camisa 69 99 da história). Detroit teve muitos jogadores escolhidos, sendo eles:

Terry Sawchuk (1), Nicklas Lidstrom (5), Gordie Howe (9), Brendan Shanahan (14), Steve Yzerman (19 -- chupa, Sakic), Chris Chelios (24), Dominik Hasek (39), Henrik Zetterberg (40), Larry Murphy (55), Sergei Fedorov (91) e Tomas Holmstrom (96).

Alguns outros ficaram entre os melhores de seus números mas não foram escolhidos: Kelly (4), Lindsay (7), Larionov (8), Delvecchio (10), Abel (12), Datsyuk e Kozlov (13), Ciccarelli (20), Ogrodnick (25), Rafalski (28), Osgood (30), Bertuzzi (44) e Franzén (93). Robitaille foi o escolhido para a camisa 20, e Hull ficou com a 16 do seu tempo de Blues.