segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Detroit 4-2 Columbus

Se Chicago é o irmão caçula, acho que os Blue Jackets são aquele primo chato que era magrinho e dentuço. Aí num Natal ele aparece todo bombado e com o dente acertado por aparelho, achando que é melhor que todo mundo.

Felizmente, Detroit ainda é o cara mais forte, bonito e rico e gostoso da família. E nesse fim de semana os Wings trataram de dar duas coças no primo caipira. Dessa vez em casa, vitória por 4-2, em mais um duelo de goleiros. Uma coisa eu digo sobre Columbus: antes eles tinham um cara que me dava pesadelos (Rick Nash. mais alguém tem pavor quando ele pega o disco?), agora eles tem dois. O goleiro Steve Mason é (muito) muito bom, e se os Jackets conseguirem mantê-lo, um novo rival pode estar aparecendo.

Por sinal, os Jackets são mesmo um rival em potencial. Se Denver morreu, Chicago alugou a Copa por um ano e Pittsburgh fica na outra conferência (nem menciono os Patos, que meudeusdocéuqueporraéaquela?), os Jackets e St Louis querem se posicionar para servir de inimigos dos próximos anos. São times jovens, e a gerência ainda não cagou no pau e pode até conseguir controlar o orçamento. Além disso, Columbus fica em Ohio. Fuck Ohio.

(mas eles tem que aprender a jogar com um homem a mais. não ligo para o quanto os Wings matam bem as penalidades, numa vantagem de 5-contra-3 eles tem que marcar. é lei. pode ir conferir. viu?)

Sobre o jogo (que eu não vi), gols dos Wings marcados por Niklas Kronwall, Deus (rá) Darren Helm, Valtteri Filppula e Dan(ny) Cleary (sem goleiro). James Howard pegou 27 de 29 chutes. Aliás, já promovi Howard de Jimmy para Jim e depois para James. Qual o próximo?

Os Red Wings voltam ao gelo nesta Terça-feira, em San Jose, tarde pra caramba. Vai dormir e baixa o jogo depois.

domingo, 28 de novembro de 2010

Entre os menores

Os Red Wings não jogaram na movimentada noite de sábado na NHL, mas os pequeninos do Grand Rapids Griffins fizeram história.

Os Griffins derrubaram alguns recordes da franquia na vitória por 10-8 (dez a oito!) sobre o Chicago Wolves, em Chicago.

Digna de nota aqui no blog é a performance de Tomas Tatar, futuro camisa 27 dos Red Wings. Com dois gols e cinco assistências, Tatar tornou-se o recordista da franquia com sete pontos em um único jogo. Além disso, o atacante deixou o jogo com saldo +7.

sábado, 27 de novembro de 2010

Detroit 2-1 Columbus

Já não passou da hora desse time jogar de verdade? Caramba, de novo... Mais uma vitória estranha, com o time jogando mal e James Howard tendo que consertar inúmeros erros da defesa. Se não fosse por três ou quatro (ou cinco ou seis) ótimas defesas, hoje os Blue Jackets estariam em primeiro lugar na conferência Oeste.

O jogo foi uma batalha de goleiros, com Howard parando 34 de 35 cutes e Steve Mason pegando n de n+2 (preguiça de olhar estatísticas). O time de desvantagem numérica foi muito bem, matando 5 penalidades e não cedendo nenhum gol.

Os gols dos Wings foram de Johan Franzén e Valtteri Filppula. Jiri Hudler teve uma assistência, e só. Não fez nada. Vagabundo.

A má notícia é que Mike Modano sofreu uma lesão. Num lance bizarro, o patim de um Jacket acertou o pulso de Modano, que teve um tendão e alguns nervos atingidos. O central passou por uma cirurgia e vai ficar de fora por tempo indeterminado (se fala em dois ou três meses). Pulso cortado deve ser a lesão mais emo que existe.

O próximo jogo é domingo, contra os mesmos Blue Jackets.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Dia do Peru

Ontem os Wings tomaram uma surra dos Thrashers. Não vale a pena saber o placar. Ninguém se machucou, beleza.

Então...

Hoje é Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, comemoração de quando a Vandinha botou fogo num bando intrometido. Num espírito de união, Kris Draper convidou alguns jogadores do time para jantar em sua casa (Darren Helm, Patrick Eaves, Justin Yabadelkader, Todd Bertuzzi, Dan Cleary, Jakub Kindl e Jiri Hudler). Mas só isso é pouco, e o leitor do Red Wings Brasil sempre quer saber mais. Então, mais alguns detalhes sobre a festa de Ação de Graças do Detroit Red Wings:

  • Para se relacionar melhor com a liga, Draper convidou Gary Bettman para o jantar. Bettman recusou, pois a única ave que ele come é pinguim;
  • Draper também convidou Sidney Crosby (relações públicas, fazer o que). Crosby também recusou. O único pássaro em sua boca é o Pica-Pau de Cabeça Vermelha;
  • outro que recusou foi Chris Osgood. O prato típico do feriado é o peru, mas Osgood prefere engolir frangos;
  • Mike Babcock mandou os jogadores assistirem o jogo do Detroit Lions (da NFL, que desde 2001 tem 35 vitórias em 155 jogos). Assim os jogadores ficam com pena do povo de Detroit e começam a se esforçar para dar alguma alegra para os sofredores;
  • Helm estará no jantar, mas pediu que Draper cozinhasse uma pomba;
  • quem também pediu um prato especial foi Bertuzzi. Ele vai comer isso aqui;
  • Hudler encheu o prato, mas Abdelkader roubou a comida. Hudler encheu de novo, e dessa vez quem pegou foi Eaves.
E nós temos uma foto exclusiva do jantar:


Feliz ação de graças pro povo que não comemora ação de graças. Por sinal, o jogo de ontem foi 5-1 pra Atlanta. (...) E o jantar é de verdade, viu?

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Finalmente, no Leste

Depois de 18 jogos, finalmente os Wings enfrentam um time da conferência Leste. Isso é meio ridículo. Os Red Wings SÃO um time da conferência Leste. A NHL é tosca (sim, de novo) e não entende de geografia. O jogo de hoje é contra o Atlanta Thrashers. Atlanta fica mais ao oeste do que Detroit. Também vale notar que Detroit está na zona horária do leste norte-americano (e Chicago e St. Louis, na mesma divisão dos Wings, estão na zona central).

Mas reclamar da liga não funciona (vide Caso Colin Campbell). Mas² vou reclamar de novo: que calendário estúpido, meu deus... Em outubro, 9 jogos em 23 dias. Em novembro, 13 em 28. E em dezembro, 16(!) em 28. Valeu, Bettman.

Falando sobre o jogo: é às 20hs de Brasília, em Atlanta. Dan(ny) Cleary quer jogar, depois de levar um baita tranco no último jogo. Se Cleary jogar, alguém fica de fora, mas Mike Babcock não sabe se esse alguém é Patrick Eaves ou Drew Miller. Babcock também disse que pode ser outro jogador, afinal Eaves e Miller estão jogando muito bem.

Pelo que o Humberto falou nos comentários, Cleary joga e Hudler fora. As linhas do treino:

Zetterberg-Datsyuk-Holmstrom
Abdelkader-Filppula-Franzen
Cleary-Modano-Bertuzzi
Miller-Helm-Eaves

---


Sobre o blog: o Red Wings Brasil é um blog. (sério? sim, sério) Blogs tem alguns personagens. Quem escreve, quem comenta e quem tumultua. Os últimos são chamados de trolls, e são relativamente comuns. Normalmente aparecem em blogs grandes, então até fico feliz quando aparece um banana por aqui, e tento responder com respeito. Mas, meus amigos trolls, se identifiquem. Não precisa de muito, pode ser "Torcedor dos Penguins" ou "Crosby87" ou "DeadThings", qualquer coisa, mas não fiquem anônimos. Quer dar opinião, ou até xingar, beleza, mas se identifiquem. Ninguém aqui vai banir ninguém ou apagar comentários, não é assim que trabalhamos.


E sobre "Helm é Deus". O zeh não gosta. O Humberto não liga. O Cauê e o Eduardo estão presos na ilha de Lost, qualquer dia eles aparecem. Mas dane-se, vou continuar falando. Se não gosta, não o chame assim. Simples. Assim como vocês podem chamar Cleary de Cleary, Dan, Danny, Dan(ny), Rodrigo ou Flávia. cada um tem um jeito, esse é o meu.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Detroit 5-4 Calgary

Não vi todo o jogo, só o 3º período, isso quando a conexão permitiu.

O jogo foi uma gangorra. Johan Franzén abriu o placar com menos de dois minutos, os Flames empataram três minutos depois. No 2º período foram dois gols de Calgary, complicando a situação.

Terceiro período, gol de Pavel Datsyuk. Calgary marca mais uma vez, depois de um erro grosseiro de Brian Rafalski (o segundo erro no jogo). Henrik Zetterberg diminui mais uma vez, depois de brilhante jogada de Datsyuk. Com 3 segundos para o fim do jogo, Zetterberg e Datsyuk se juntam para outro gol, mandando o jogo para a prorrogação.

Nessa hora a torcida já podia ficar feliz, afinal o time não estava jogando muito bem. Jim Howard não teve das noites mais eficientes, apesar de não ter errado (o 2º gol de Iginla foi esquisito, mas tudo bem). Mas Deus Darren Helm e o Super-Sueco, Nicklas Lidstrom, não queriam saber de ponto de consolação. Com 1 minuto e 38 segundos de prorrogação, isso aconteceu:




Os Wings conseguiram a vitória num dia em que não jogaram bem. Na verade, os Wings vem conseguindo vitórias faz tempo sem jogar 100% do que pode. Mas esse time é tão bom que, em vez de temer a eventual derrota por falta de esforço, a gente torce para o time se encontrar de verdade. Quando isso acontecer, ninguém segura.

Mas como nem tudo é festa, Dan(ny) Cleary machucou o ombro. Exames mostrarão a extensão da lesão e quanto tempo Cleary ficará de fora. Agora pelo menos Babcock não vai ter que escolher quem fica de molho, Miller ou Eaves. (a desculpa não colou, eu sei)

domingo, 21 de novembro de 2010

DET 3-4 MIN, Contra Calgary

Os Wings perderam o jogo contra o Wild na sexta-feira, por 4 a 3, na prorrogação. O time estava perdende por 2-0 e conseguiu a virada, mas cedeu o gol de empate no fim do jogo. Os gols foram marcados por Franzén, Helm e Eaves.

A linha mais consistente, mais uma vez (como vem sendo desde o ano passado) foi a de Alguém-Helm-Eaves. O gol de Darren Helm é facilmente o meu preferido na temporada: transição rápida, Patrick Eaves passando para Helm usando as bordas, todos os três atacantes pressionado atrás da rede adversária e o fantástico passe de Justin Abdelkader para Helm finalmente fazer seu primeiro gol na temporada. (é claro que o gol saiu na hora que eu estava na cozinha pegando um pote de sorvete. Helm tem 12 gols em temporada regular na carreira, eu vi exatamente UM ao vivo. valeu, Deus #43)

Jim Howard não foi bem como de costume, deu muitos rebotes e levou um gol um tanto quanto inexplicável. Acontece, pelo menos a gente sabe que um jogo ruim dele é a exceção, e não a regra (certo, Osgood?).

---

O próximo jogo é hoje, 20hs de Brasília, contra os Flames. Mike Babcock não sabe quem vai para o banco. Ultimamente ele está revezando Eaves e Drew Miller, mas nenhum desses merece ficar de fora. A tendência é que Jiri Hudler ou Tomas Holmstrom não jogue, afinal esses são os atacantes que não vem correspondendo.

Howard vai para o gol de novo, e já falei que ele costuma ter grandes jogos quando sofre uma derrota ruim. Vamos ver hoje.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Contra Minnesota

(já perceberam como vai funcionar, né? a criatividade faliu, então quando tiver jogo a postagem vai chamar "Contra adversário". não gostou? se vira, esse blog é muito ruim e você com certeza consegue achar outro blog em português sobre os Red Wings. claro)

Tentando acordar Johan Franzén (a ex-Mula), Mike Babcock subiu o #93 para a primeira linha. O time para o jogo de hoje, 22h30 de Brasília, em casa, é:

Zetterberg-Datsyuk-Franzén
Cleary-Modano-Bertuzzi
Hudler-Filppula-Abdelkader
Holmstrom-Helm-Eaves

Claro que isso vai mudar bastante, principalmente a quarta linha. Babcock costuma usar essa quarta linha sempre que alguém marca um gol, seja Detroit ou o oponente. Por isso não esperam ver Homer sempre ao lado do meu Deus. (faz tempo que não falo, né? Helm é o único jogador do time que não tem gol na temporada, mas dane-se, Helm é Deus. e zeh, quem ganhou o torneio de Sudoku de Anápolis?)

A defesa é a mesma, Lidstrom-Stuart, Ericsson-Rafalski, Kronwall-Salei. James Howard no gol

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Dez minutos

Alguém disse: "Esse blog é muito ruim", mas esse time é muito bom. Pouco tempo atrás coloquei uma postagem chamada "Duas horas", comemorando o fato do time ter jogado com vontade por dois jogos seguidos. Acontece que os Wings são os Wings, e 10 minutos bastam.

Depois de uma estúpida troca de gols nos primeiros períodos, Detroit decidiu que queria ganhar no fim do jogo, e claro, ganhou. Um jogo complicado e empatado em 3-3 virou uma festa e terminou 7-3 para os Red Wings. Os gols foram de Miller, Abdelkader, Zetterberg, Stuart, Holmstrom e Dan Cleary (esse duas vezes, estendendo a sequência para 6 jogos e 8 gols).

James Howard pegou 33 de 36 chutes, e aproveitou para se divertir no fim do jogo quando os Blues quiseram liberar a frustração. Por sinal, poucas coisas são tão divertidas quanto assistir um time frustrado tentando desabafar. (essa é uma dessas coisas)

Próximo jogo é Sexta-feira, contra Minnesota.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Botando o assunto em dia

Sumi, agora voltei. Sumi por falta de internet, por não estar em casa e claro, por preguiça. Afinal, essa Liga é tosca e mais uma vez os Wings não jogaram de Sábado até amanhã, Quarta-feira. Assim ninguém tem ânimo pra fazer alguma coisa. Bastante coisa pra falar:

Jiri Hudler

Após ficar dois jogos de fora do time, Hudler tinha voltado muito mal. Depois, quem sabe por sentir a pressão, quem sabe por acaso, quem sabe até pela frustração, o Risadinha começou a trabalhar mais no gelo, sendo coroado com um gol na vitória por 3-1 sobre Denver (chupa, Roy) (e daí que ele aposentou?). Sim, é ridículo falar que um cara foi "coroado" com um (UM) gol, mas isso é pra vocês terem idéia de como ele estava mal.

Depois da partida anterior, quando Hudler jogou bem mas ainda não tinha encontrado a rede, Mike Babcock escrachou o rapaz. "Se ele pode jogar tão bem quanto jogou, por que não joga assim sempre"? Teve gente que se não gostou dessa cobrança em público logo após o melhor jogo de Hudler na temporada, mas esses são hereges que ainda não aprenderam a não duvidar de do Tio Mike.

Resultado: no jogo contra o AvaLanche Feliz, Hudler continuou trabalhando duro e fez um gol que alguns acharam feio, mas que foi gol de quem sabe o que faz, com cara de Brendan Shanahan. Um gol que, tenho certeza, Hudler não faria se estivesse em seu habitual estado vegetativo, quando desiste do lance mais fácil que sei lá o que.

Dan(ny) Cleary e Nicklas Lidstrom

Tem alguém com nomes mais trocados do que Dan Cleary? Já foi chamado de Daniel, Dan, e agora a moda é chamar de Danny. O próximo é Little Danizinho, seguido de Daniel Ochocinco. Bom, Cleary está numa fase muito boa, com ponto em sete jogos seguidos e gol nos últimos cinco. Hoje Cleary tem 12 pontos em 15 jogos, depois de só 34 pontos em 64 jogos na temporada passada.

Já Nicklas (Nicky?) Lidstrom tem ponto em 11 jogos seguidos, a maior sequência da carreira. O sueco tem 17 pontos em 15 pontos. No ano passado seu 17º ponto só chegou na 40ª partida da temporada.

Jogo das Estrelas

A NHL mudou seu modelo de disputa, que agora será entre times escolhidos pelos próprios jogadores (mais sobre isso na TheSlotBr da semana que vem). Os jogadores de Detroit que estão na cédula de votação são Lidstrom, Brian Rafalski, Henrik Zetterberg, Pavel Datsyuk e Johan Franzén. James Howard bizarramente não foi indicado, mas duvido que não seja escolhido na segunda parte da seleção.

Vocês podem votar no site NHL.com/vote.

---

Acho que é só isso. Amanhã tem jogo contra St. Louis, que depois de um bom começo agora perde jogos a torto e a direito (na Slot dessa semana). Os Wings devem estar com o time titular completo, depois de Mike Modano não ter treinado ontem. Chris Osgood ainda está lesionado, então o reserva ainda é Joey MacDonald.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A frase

"Você não sente [a pressão] até perceber que já está no 14.º jogo da temporada e não marcou nenhum gol. Você tem que continuar trabalhando duro e coisas boas vão acontecer."

— Jiri Hudler, depois de marcar seu primeiro gol na temporada.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mais um contrato assinado.

No último dia 2, Ken Holland anunciou que fechou contrato de entrada com o forward Landon Ferraro, com duração de três anos.

Ferraro tem 19 anos e foi a primeira escolha do Detroit no draft de 2009 (32o. geral).

Hoje ele joga no Everett Silvertips (WHL) e é o vice-lider em pontuação, com 11 pontos em 13 jogos.

E no dia 9, foi anunciado que Louis-Marc Aubry fechou a mesma negociação. Aubry completou 19 anos ontem (11) e foi a terceira escolha do Detroit no draft de 2010 (81o. no geral).

Hoje ele joga no Montreal Juniors da Quebec Major Junior Hockey League.

Essas notícias me fazem lembrar de gente do passado, que são monstros no presente, como:
Dallas Drake: 6a. escolha (116 no geral) em 1989;
Nicklas Lidstrom: 3a. escolha (53o. no geral em 1989;
Tomas Holstrom: 10a. escolha (257 no geral) em 1994;
Pavel Datsyuk: 6a. escolha (171 no geral) em 1998;
Henrik Zetterberg: 7a. escolha (210 no geral) em 1999;
Johan Franzen: 3a. escolha (97 no geral) em 2004;

Podemos esperar, então, muito desses garotos.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Contra Edmonton (a criatividade tá baixa, dá um desconto)

O mesmo título para sei-lá-quantas postagens seguidas. Rumo ao desemprego! Ainda que usar o mesmo título sempre não parece ser um problema, afinal a gente enfrenta sempre os mesmos times. Sério, não aguento mais ver os Coyotes ou algum time canadense.

Mas ninguém liga pro que eu penso, mesmo que eu já ache que o Jiri Hudler tenha que ser trocado amanhã, enquanto ainda vale alguma coisa. Mike Babcock também está ficando desesperado, então está começando a mexer nas linhas. Nos últimos jogos Hudler passeou por todas as linhas possíveis e imagináveis e não fez porra nenhuma.

E agora o problema não é a terceira linha, que se acertou com o Abdelkader. O problema está na segunda. E estava na cara que isso ia acontecer, por um detalhe que faz uma diferença enorme: Detroit tem os jogadores mais inconsistentes e irritantes que já vi.

Em quem podemos contar para pontuar toda hora? Pavel Datsyuk, Henrik Zetterberg e Nicklas Lidstrom. Se o Datsyuk estiver bem, 50% de chance de Tomas Holmdstrom funcionar. Também sabemos que Darren Helm/Drew Miller/Patrick Eaves/Justin Abdelkader vão dar o sangue no gelo e defender maravilhosamente bem, ainda que não pontuem tanto. De resto, nada.

Valtteri Filppula tem uma boa fase, depois esquece que precisa chutar e começa a rodopiar pelo gelo sem fazer nada. Todd Bertuzzi passa uma semana iluminada e depois fica 6 meses sem fazer gol. Johan Franzén só joga na pós-temporada, isso se não estiver machucado. Dan Cleary vai se esforçar sempre, com a mesma frequência que perde gols. E Jiri Hudler tem duas fases, céu e inferno, sem nada no meio. (do Modano eu não sei porque não acompoanhava Dallas) Isso sem contar a defesa, com o Rafalski e Kronwall esquecendo suas posições de vez em quando.

E é isso. Temos a 1ª e a 4ª linhas como certeza absoluta de produção. As duas linhas intermediárias são de lua, o que os americanos chamam de jogadores "streaky", ou seja, de momento. Por isso Babcock está fuçando (mais do que o normal). Para o jogo de hoje as linhas são (pelo menos nos primeiros 17 segundos):


Zetterberg-Datsyuk-Holmstrom (o Circo Voador, que está funcionando, às vezes com Cleary no lugar do Homer)
Hudler-Filppula-Franzén (Hudler sempre jogou bem ao lado de Flip)
Bertuzzi-Modano-Cleary (o Anticristo só tem uma assistência nos últimos 6 jogos)
Abdelkader-Helm-Miller (Eaves na reserva)

A defesa é a mesma do último jogo, Lidstrom-Stuart, Ericsson-Rafalski, Kronwall-Salei. O goleiro é James Howard.

Jogo às 22h30 de Brasília, em Detroit.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Contra Phoenix

Jogo que foi ontem, por sinal. Tentei mandar alguma coisa nos comentários da outra postagem, mas dessa vez o celular falhou.

Que seja, os Wings contaram com a volta de Brian Rafalski (Jakub Kindl ficou no banco), que aparentemente fez uma baita diferença. Jiri Hudler continuou na 4ª linha, e Jim Howard pegou 29 dos 31 chutes que viu.

A vitória de Detroit foi por 3-2, com Henrik Zetterberg marcando o gol na prorrogação.

sábado, 6 de novembro de 2010

Contra Vancouver

Se Osgood estivesse no gol, a culpa seria toda dele.


Ontem o Red Wings foi consistente, mas, como a gente vê de vez em quando, uns apagões nos levam até aonde nós chegamos.

Times especiais? Ontem foram especialmente fracos, com 25% no PP e 40% no PK.

Não dá pra por a culpa no Osgood, mesmo que ele estivesse no gol.

Depois de 2 jogos de "pau dentro" o tempo todo, ontem foi uma relaxadinha - não sei se merecida ou não - que, pasmem, acabou com -3 pro Lidstrom e +2 pro Kronwall.

De quem é a culpa?

Bom, pelo menos teve mais uma briga, né?

-
zeh. (Assinei para vocês saberem que ainda estou vivo)

Duas horas

Não olhem agora, mas os Wings emendaram dois jogos seguidos com os famosos "esforços de 60 minutos" (quem sabe o 2º período de ontem nem tanto, mas vocês entenderam).

Além disso, tem a 3ª linha... oh, a 3ª linha. Jiri Hudler deve estar sonhando com uma Vodka russa nessa hora, especialmente após Justin Abdelkader marcar gols nos dois últimos jogos. E em vez de se esforçar mais na 4ª linha, Hudler não fez porcaria nenhuma, nada, nada MESMO. Juro que, na hora de defender (leia-se: o papel de um jogador que (mesmo achando que não merece) está na última linha), Hudler não deu mais de dois passos em direção ao disco ou a um jogador adversário.

A defesa trabalhou bem, e é nítida a diferença do jogo de Jonathan Ericsson quando ao lado de Nicklas Lidstrom. Não é apenas o efeito natural de um dos melhores da história num jovem defensor, mas um pulo de produção que nos dá esperanças de salvação para Sony. Ericsson também teve uma briga (cuja consequente penalidade de instigador levou ao gol dos Oilers, mas não vou culpá-lo, eu gostei de ver a briga).

E James Howard fez 29 defesas, e só sofreu um gol, e não perde um jogo de temporada regular há 22 partidas. Quando alguém vai falar dele pra levar o troféu Vezina? (eu respondo, só se a sorte continuar e aqueles chutes na trave continuarem fora da rede).

Detroit 3-1 Oilers, próximo jogo hoje meia-noite, contra Vancouver. Não sei se tem Howard no gol, se tem Hudler na escalação ou se o Alonso vai ser campeão.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Isso é profundidade

Então, se você acredita em Mike Babcock, Jiri Hudler volta hoje. E se você acredita em Babcock, Johan Franzén está bem e vai jogar também. Se você acreditar em Babcock. Eu acredito, na maioria das vezes. Mas de vez em quando ele é um maldito mentiroso, então sei lá.

James Howard no gol, isso é certeza.

As duas primeiras linhas não devem mudar (a não ser que Franzén fique menos tempo no gelo. nesse caso, Hudler ou Cleary poderia subir de linha) (ou o Abdelkader pode subir, quem sabe?). Dizem que Patrick Eaves está com dores no calcanhar e poderia descansar, ou que Drew Miller pode ficar de fora.

E onde entra Hudler? Na 2ª linha, volta à 3ª, entra na 4ª para dar uma força no ataque (e passar vergonha na defesa)? Poderia Babcock tirar Ericsson ou Kindl e ir com 13 atacantes?

13 jogadores, 27 trilhões de combinações, todas capazes de ganhar um jogo. Isso é profundidade. Isso é Detroit Red Wings.

Jogo às 23hs de Brasília, em Edmonton.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Rindo à toa

E sem o Hudler. Justin Abdelkader é um pentelho, e botou fogo no rabo de Mike Modano também, que correu como não corria há tempos. Os jogadores da 3ª linha marcaram os dois gols da noite, tentando afastar a zica recente.

E como faz diferença ver o número 35 entre as traves. Faz tempo que não dava para confiar num goleiro assim (desde 2002, na verdade), a torcida sente que pode ganhar qualquer jogo quando tem James Howard ali atrás. Sentimento bem fundamentado, já que Howard não perde uma partida de temporada regular no tempo normal desde a temporada passada, sendo 21 jogos nesse tempo (18 vitórias, 3 derrotas além de 60 minutos).

E como não adorar essa 4ª linha? Drew Miller, Patrick Eaves e Darren Helm marcam em cima, roubam discos, brigam nas bordas, matam penalidades (por sinal, 90% de sucesso, constantemente segurando o disco na zona ofensiva) e recebem muitas faltas. Com Abdelkader fazendo barulho na 3ª linha e a 4ª linha matando a pau, fica difícil imaginar onde Hudler se encaixa no time.

(respondendo minha pergunta (apesar de não ter perguntado nada), Hudler vai voltar para a 3ª linha. a 4ª linha é para guerreiros e tem obrigação estritamente defensiva, o que me leva a crer que Abdelkader vai revezar com Miller, Eaves e Helm, nessa ordem) (e, se até a data-limite de trocas Hudler continuar podre, algum time do Leste vai receber um anão folgado com salário de quase $3 milhões)

Resultado de ontem, Detroit 2-1 Calgary. Próximo jogo Sexta-feira, contra os Oilers.

Plantão: Johan Franzén não treinou hoje, com uma leve inflamação no quadril. Jiri Hudler treinou em seu lugar, mas Franzén disse que estará pronto para jogar amanhã.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Howard de volta

Então eu saí do coma. (que foi substituído por uma febre maldita de mais de" Hasek graus")

Que seja, Jim Howard no gol hoje à noite, 23h30 de Brasília. Isso porque Chris Osgood está com a virilha inflamada e vai ficar um tempo de fora.

De volta também está Jonathan Ericsson, que vai jogar ao lado de Nicklas Lidstrom, afinal foi com o capitão que Sony teve sua melhor fase.

Justin Abdelkader continua na escalação, Jiri Hudler continua pastando. O time é:

Zetterberg-Datsyuk-Holmstrom
Franzén-Filppula-Bertuzzi
Abdelkader-Modano-Cleary
Miller-Helm-Eaves

Lidstrom-Ericsson
Kronwall-Stuart
Salei-Kindl

 Howard no gol