Contagem regressiva para a Copa.

 Contagem regressiva para a Copa.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

As mandíbulas de Detroit

Dan Cleary foi atingido por Mikael Samuelsson, Brad Stuart foi atingido por um retardado. Os dois já passaram pelo que Patrick Eaves irá passar pelas próximas semanas, nas palavras de Cleary:

"Vai ser difícil para ele. Vão fechar a boca dele com fios, e quando você acorda da anestesia, você tem tanta sede. No meu caso tiveram que arrancar alguns dentes, uma abertura para poder colocar alguma coisa. Ele tem uma esposa e isso é bom, ela vai ter que ser paciente e alimentá-lo.

Não posso dar uma palavra de consolo, sinceramente vai ser horrível. No começo você não come nada sólido, ou alguma coisa pode ficar presa no metal."

Cleary perdeu 7 quilos durante as seis semanas de sua recuperação, Stuart se submeteu a uma dieta de milk-shakes e perdeu apenas 3 quilos.

Patrick Eaves ainda não foi colocado na lista de contundidos, mas isso não deve demorar. Nos últimos dias Fabbian Brunnstrom subiu e desceu de Grand Rapids algumas vezes, mas Mike Babcock e Ken Holland não sabem se vão manter o atacante como um Red Wing em tempo integral (Brunnstrom está próximo do limite para estar novamente sujeito à Desistência), e podem querer utilizá-lo apenas em caso de necessidade.

Enquanto isso, Jan Mursak está voltando a treinar após fraturar o tornozelo em setembro e pode voltar até o fim do ano.

Algum dia os Red Wings vão ficar inteiros. Algum dia.

domingo, 27 de novembro de 2011

Retorno infeliz

Detroit 4-1 Nashville

Patrick Eaves sempre jogou seu melhor quando ao lado de Darren Helm, que começou a se destacar quando jogava com Dan(ny) Cleary. Ninguém ficou surpreso quando a 3ª linha de hoje (Eaves-Helm-Cleary) jogou bem. Mesmo assim Eaves se deu mal, ao ser atingido na orelha pelo disco chutado por um calouro de Nashville, em seu primeiro jogo após ficar de fora por cinco partidas.

Eaves saiu do gelo de maca e foi levado ao hospital, e saberemos mais sobre seu estado amanhã. Vale lembrar que o atacante já teve problemas com concussões quando jogava em Hartford Carolina, por isso vamos torcer pela saúde de um dos caras mais guerreiros do time (alguém mais lembra dele bloqueando dois chutes com o peito na mesa defesa de penalidade em 2010?). (Atualização: Eaves está com a mandíbula quebrada, vai passar a noite no hospital e ser reavaliado amanhã, para verificar se há necessidade de cirurgia).

A notícia boa vem de Hank Zetterberg, que fez um gol (depois de tirar um sarro com o goleiro) e deu uma assistência, evitando a enxurrada de palavrões que lhe seriam direcionados depois do jogo de sexta-feira. Ainda melhor foi Valtteri Filppula, que continua rumo à melhor temporada da carreira, agora com dois gols e uma assistência.

E James Howard é o melhor goleiro da NHL.

sábado, 26 de novembro de 2011

Como é que é?

Pois é.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Spoiler: Red Wings x Bruins

A NHL volta à ESPN na noite de hoje, com a exibição na íntegra de Red Wings x Bruins, jogo disputado hoje à tarde em Boston.

Se você quer assistir ao jogo sem saber o resultado, pare a leitura por aqui.


(Escrevendo qualquer coisa para que você não veja o placar, nem saiba o que aconteceu, enfim, é a sua última chance de fechar o navegador).



Nada como chegar do trabalho e assistir aos Wings, ainda que pegando apenas a segunda metade do jogo. Os Wings lideravam por 2-1, e a grande novidade era a constatação de que Pavel Datsyuk está de volta, em ótima fase e marcando um gol daqueles.

Os dois gols do Boston nasceram de bobagens defensivas do Detroit. No primeiro, Jimmy Howard, que fez ótima partida mas soltou alguns discos perigosos, errou um passe atrás da rede e deixou o gol livre. No segundo, um passe na fogueira de Niklas Kronwall para Henrik Zetterberg, que foi surpreendido e perdeu o disco.

O terceiro período foi todo dos Bruins, mas o placar continuou empatado até a disputa de pênaltis, vencida pelos Red Wings.

Foi a quarta vitória seguida do Detroit, que quebrou a sequência de dez vitórias dos Bruins. O próximo jogo será no sábado, em Detroit, contra o Nashville Predators, às 22h de Brasília.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Como nos velhos tempos

(pra avisar: sumi por causa das provas, a última rodada de provas de minha vida universitária. as próximas semanas serão bem tumultuadas)

Lembra quando os Wings jogavam às 19hs, mas você não entrava na internet (e provavelmente ia dormir cedo) porque o VT ia passar de madrugada e você queria assistir "ao vivo"? Pois fuja do PC na sexta-feira, quando a ESPN vai transmitir à noite (por volta das 22hs de Brasília) o jogo Detroit vs. Boston, na Boston Arena (?), que na verdade acontece às 16hs.

Ainda não se sabe se o jogo estará na ESPN normal ou apenas na HD. Quando descobrirmos vamos avisar (para assistir de tarde, claro).

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sem tempo

A excursão dos Red Wings por parte dos Estados Unidos terminou melhor do que começou, com duas vitórias nos jogos finais, depois de duas derrotas horríveis.

E este é um post improvisado, em resposta ao nobre leitor que perguntou onde estão os miseráveis que deveriam fazer este blog.

O pessoal do blog é como o Johan Franzen, que de vez em quando some, sequer chuta a gol. Mas quando Franzen pontua, os Wings vencem. Será que se postarmos em todos os jogos os Wings vencerão? Duvido.

Certo é que Jimmy Howard será finalista do Troféu Vezina, se sua temporada continuar desta forma. O que é preocupante, porque significa que o time não está defendendo tão bem e que o goleiro está sendo ameaçado.

A novidade dos últimos jogos foi Brendan Smith. Corajoso, o garoto. Pega o disco e se manda para o ataque, faz umas bobagens, mas se mostra um defensor muito promissor.

E vamos esperar pra ver se foi apenas lampejo ou se Pavel Datsyuk e Henrik Zetterberg finalmente tiraram o dedo.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Detroit perd... dane-se, sorria!

Os Wings levaram outra surra dos Sharks (5 a 2), e quando chego em casa para xingar meio mundo, vejo que a ESPN vai voltar a transmitir a NHL.

Agora poderemos ver Ericsson cagando, Zetterberg sumindo e Howard quase chorando. Red Wings rumo ao campo de golfe, ao vivo na ESPN!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O pessimista

Já que assumi o papel de cara chato oficialmente, vou falar. Sabe quando eu soube que os Wings iam perder o jogo de ontem? Assim que Niklas Kronwall foi lançado às bordas do St. Louis Center (alguém sabe o nome daquela bagaça?).

Porque os Wings não iam marcar gol nos cinco minutos de penalidade, e os Smurfs ganhariam ânimo, e algum panaca (quem disser "52" ganha um presente) cometeria uma penalidade, e os Wings levariam o gol, ficariam assustados e não conseguiriam se recuperar.

E só para constar, na sequência de quatro vitórias os Wings chutaram, no mínimo, 30 vezes por jogo (dois jogos com 30, um com 40 e um com 50). Ontem foram 22 chutes, apenas um (UM, porra!) nos últimos catorze minutos. Aham.

Já que Mike Babcock é um louco (para o bem ou para o mal), em vez de tirar Jonathan Ericsson do time (que agora consegue ser horroroso até ao lado de Nicklas Lidstrom) vai tirar Mike Commodore (que também não faz nada que presta, mas só teve seis minutos ontem para tentar mostrar alguma coisa - e errou -, enquanto Ericsson erra por 18 minutos por noite). Brendan Smith deve fazer sua estréia na NHL, e hoje treinou ao lado de Kronwall e também com Lidstrom na vantagem numérica.

E comentários rápidos:
-Dan Cleary não é jogador de primeira linha
-James Motherfucking Howard inexplicavelmente não está na cédula de votação para o Jogo das Estrelas
-não quero Howard no JdE, mas isso é ridículo
-Henrik Zetterberg está na cédula, e tem 6 pontos em 16 jogos
-Pavel Datsyuk também está, e não faz gols há onze jogos

Que temporada boa...

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Depenando a defesa

ATUALIZADO
Kronwall voltou para o segundo período e disputou o restante do jogo, em que os Red Wings foram derrotados por 2-1, apesar do esforço hercúleo de Jimmy Howard.

Pelo que se lê por aí, a atuação do time foi horrorosa.



Primeiro período em St. Louis, os Wings lideram o jogo por 1-0, gol de Justin Abdelkader, mas podem perder Niklas Kronwall por algum tempo.

O defensor foi atingido por um tranco por trás e acertou a borda com a cabeça e o ombro, caindo de maneira preocupante no gelo.

Imediatamente todos os jogadores do time partiram pra cima de Chris Stewart, atacante ex-Avalixo, que levou uns sopapos de Brad Stuart e Henrik Zetterberg logo a seguir.

Stewart recebeu uma penalidade de cinco minutos, além de ser expulso do jogo. Os Wings desperdiçaram toda a vantagem numérica.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O mito

Ian White merece um lugar no banner do blog Red Wings Brasil.

Os Wings venciam os Stars por 3-2 no terceiro período quando o defensor se atirou em frente ao gol para bloquear um chute. Com a cabeça. E quebrou o osso abaixo do olho (a famosa maçã do rosto).

No lance seguinte, Darren Helm marcou o 4-2, sacramentando a vitória.

White, o mito, ficará afastado por duas semanas.

Os Wings já convocaram Brendan Smith para o time principal. Smith cumprirá o último de seus cinco jogos de suspensão já na próxima partida, amanhã, contra o St. Louis.

Jonathan Ericsson será o companheiro de Nicklas Lidstrom no primeiro par defensivo, com Mike Commodore se juntando a Jakub Kindl no terceiro par.

domingo, 13 de novembro de 2011

Wings no atacado

Os Red Wings concluíram a sequência de seis jogos em casa com a vitória sobre o Dallas Stars por 5-2. Aliás, em duas noites, a equipe venceu dois dos três líderes da Conferência Oeste, alcançando a quarta posição, com 19 pontos.

A campanha dos Wings na temporada é definida em períodos. No primeiro, venceu cinco jogos, depois perdeu seis, agora venceu quatro. Não tem meio termo.

Nesses últimos jogos, o time encontrou uma sólida segunda linha ofensiva com Franzen-Zetterberg-Filppula, uma boa terceira linha com Hudler-Helm-Abdelkader e uma segura quarta linha com Miller-Emmerton-Eaves. É, a primeira linha continua uma porcaria, com Datsyuk jogando sozinho, porque Holmstrom e Cleary têm o mesmo estilo e são bem limitados, mas é notável como Homer conseguiu recuperar seu lugar na linha 1.

O sucesso recente das linhas ofensivas, exceção feita à primeira, claro, me leva a pensar que Todd Bertuzzi perdeu a vez. É claro que ele vai voltar, porque Mike Babcock vai arrumar um lugar que hoje não existe pra ele. O fato é que ninguém sentiu sua falta.

Uma estatística curiosa: os Wings venceram todos os jogos em que Franzen pontuou e, consequentemente, perdeu todos em que ele não pontuou. A Mula é o goleador do time, com 9 gols, e também o artilheiro, com 16 pontos.

Franzen só não é o melhor jogador do mundo porque existe um Jimmy Howard defendendo 93,4% dos chutes, sofrendo apenas 1,66 gol por jogo e frequentemente conquistando um shutout. É a melhor temporada de sua carreira e vamos torcer para que continue assim.

O pódio dos Wings: 1. Howard, 2. Lidstrom, 3. Franzen.

A partir de terça-feira, a equipe começa uma sequência de quatro jogos fora de casa: St. Louis (15), San Jose (17), Los Angeles (19) e Anaheim (20).

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O grande e a corneta

O grande (no tamanho) Todd Bertuzzi está com sinusite e perderá os próximos dois jogos, na sexta e no sábado, em Detroit.

Os problemas de Bertuzzi começaram no jogo contra o Minnesota Wild (dia 1), quando levou uma porrada na cabeça. O atacante até disputou a partida seguinte, contra o Calgary Flames (dia 3), mas teve uma recaída e vai completar 12 dias longe do time titular na terça-feira, em seu provável retorno.

A ausência de Bertuzzi dá a Fabian Brunnstrom mais uma chance de mostrar o seu talento de "atacante top seis".

E para cornetar o Guilherme Calciolari, que questionou publicamente a liderança do capitão Nicklas Lidstrom, me lembrei de uma estatística divulgada durante a transmissão do jogo contra o Colorado Avalanche. Quando Lidstrom marcou o primeiro gol, alguém na TV disse: "com cinco gols e quatro assistências, Lidstrom participou de nove dos últimos 14 gols do Detroit."

Um líder não precisa gritar, quebrar o taco ou chutar a porta. Ele precisa dar o exemplo. E eu desconheço uma forma melhor do que marcar gols e dar assistências para fazer isso.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Como é bom queimar a língua

Então os Wings jogaram sábado, e ganharam por 5-0, chutando a gol 50 vezes e dominando os Patos como todos sabíamos que os Red Wings poderiam fazer, contando com gols de Niklas Kronwall, Henrik Zetterberg, Nick Lidstrom e Johan Franzén.

Enquanto alguns vão me dizer "Chupa!" e me zoar por questionar a falta de liderança na equipe (gente que pode não ter entendido o que quis dizer quando falei do "C" na camisa de Lidstrom, que também foi uma dúvida sobre os "A's" de Datsyuk e Zetterberg e, agora, Kronwall; continuo achando que esse time é mole e tem um problema de atitude, e vou achar isso pelo menos até quando alguém detonar a cara do Flame que quase matou Hudler nas bordas), lembrem-se que a vitória contra os Patos começou mais cedo.

Antes do treino de sexta, os treinadores conversaram individualmente com cada jogador. Ken Holland se encontrou com os líderes do time. Lidstrom falou com todo o time.

O que isso me diz? Que eu não era o único me perguntando quem liderava essa equipe. Dias depois de dizer que nunca se reúne com os jogadores após as partidas, Mike Babcock conversa com cada um. Kenny chama os líderes para uma reunião, algo que não acho que tenha acontecido duas ou três vezes nos últimos dez anos. Quem sabe ele simplesmente tenha pedido pelos "líderes do time", sem mencionar nomes, apenas para descobrir quem diabos apareceria em sua sala.

Pois eis que, naquela noite, Kronwall marca um gol (o cara que recebeu um "A" na camisa nas férias), Zetta marca um gol (o cara que tem tudo para ser capitão quando o #5 decidir), Franzén marca um gol (o cara que todos diziam que pode marcar 40 gols se quiser, mas que nunca quer) e Lidstrom marca dois gols (!!). Me xinguem mais uma vez, mas me parece que a liderança desse time usa terno e gravata.

Hoje tem mais um jogo, uma chance para provar que a vitória sobre os Patos não foi apenar uma vantagem sobre um time, por incrível que pareça, atravessava uma fase tão ruim quanto a nossa. Jogo às 22hs30 de Brasília, na Joe Louis Arena, e o time que treinou ontem foi:

Cleary-Datsyuk-Holmstrom
Fillpula-Zetterberg-Franzén
Abdelkader-Helm[não treinou mas vai jogar]-Eaves
Miller-Emmerton-Brunnstrom

Lidstrom-White
Kronwall-Stuart
Ericsson-Kindl/Commodore

Howard no gol.

Todd Bertuzzi e Jiri Hudler não jogam, estão "doentes".

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Boooooooooooooooo [+18]

Sempre que um time não corresponde às expectativas, a torcida pode começar a vaiar. Ora, ingressos custam caro, e Michigan passa por um período difícil, ninguém pode condenar os torcedores por vaiar uma equipe que, foda-se se eles não ganham, nem trabalham duro.

boooooooooooooooooooooooo

As vaias não foram para os juízes, ainda que deem penalidades fantasmas contra Detroit ou apenas dois minutos de penalidade quando um Flame brinca de Claude Lemieux às custas de Jiri Hudler. As vaias são para Johan Franzén, que se recusa a dar trancos, se recusa a chutar, se recusa a pensar.

boooooooooooooooooooooooo

Absurdo. Ridículo. Se você não veste as camisas números 5, 8, 35 ou 43, vai se ferrar. Vai para Columbus, Winnipeg, Grand Rapids ou Itapecerica da Serra. Se você veste 11, para de fingir que stá tudo bem e pede licença para ir ao departamento médico. Se você veste 13, para de tentar jogar bonito e faz alguma coisa. Se você veste 40, vai tomar no rabo e ganha mais do que dois (DOIS) faceoffs em 14 disputados.

boooooooooooooooooooooooo

Seis derrotas seguidas. Inaceitável. Isso que dizer uma dessas duas coisas: ou Mike Babcock perdeu o controle sobre este time, ou este time não é tão bom quanto pensamos. Torço pelo primeiro, mas estou considerando o segundo.

[afinal, quando dizíamos que nosso time era "talentoso" nos referíamos a Franzén, Filppula, Zetterberg, Cleary, Bertuzzi, Hudler... e agora, alguém ainda confia nesses caras noite após noite? pior ainda, alguém ainda acha Ken Holland inquestionável, ou pelo menos que Franzén por Hossa foi uma das piores decisões dos últimos anos?]

Sério, adoro Babcock e poucos treinadores são tão bons em tantos aspectos (experiência, conhecimento, carisma, topete), mas será que seu trabalho já acabou? Será que seu estilo duro e seco (recentemente admitiu que não fala com os jogadores após as partidas) já não cansou, que os jogadores não querem alguém que admita que está tudo errado e comece do zero? Ou, no mínimo, alguém que saiba lidar com pessoas? "Brunnstrom pode jogar nas primeiras linhas", mas está em Grand Rapids. "Nyquist sobe para jogar na segunda linha", mas desce para  AHL após não ter chance de mostrar seu jogo.

booooooooooooooooooooooooooo

E se não é Babcock que fala com o elenco, quem é? Em tempos trágicos, começamos a questionar até mesmo a escolha de Nicklas Lidstrom como o capitão, um cara cerebral e genial que, talvez, (lá vem a palavra essencial) não tenha o coração necessário para vestir um "C" no peito? Ora, Lidstrom poderia ser um grande técnico/gerente/olheiro/narrador, mas será que serve para capitão?

Cadê o cara que fica quieto por muito tempo mas explode de vez em quando? Alguém consegue enxergar Lidstrom gritando, batendo na porta do armário, quebrando um taco no joelho, cobrando hombridade dos senhores que o cercam, terminando um discurso furioso com um simples "foda-se isso tudo, não vou deixar vocês me fazerem passar vergonha", saindo do vestiário e resolvendo tudo no gelo, passando pela defesa adversária sozinha por não confiar em mais ninguém, fazendo um gol e depois colocando a cara na frente de um disco para enfrentar o empate? [Yzerman é rei. Volta pra Detroit, cara]

booooooooooooooooooooo

Não vejo isso em ninguém agora. Quem sabe em James Motherfucking Howard, mas acho mais provável que ele mate alguns de seus defensores e vá preso. Quem sabe em Darren Helm e Justin Abdelkader, mas qualquer hora dessas, após um turno pressão total que atormente os oponentes mas termine em uma furada absurda de Hudler, Helm e Abdelkader vão se tocar que não cabe a eles carregarem o time e simplesmente se comportar como se não valesse a pena.

boooooooooooooooooooooo

E, hoje, não vale. Não quando o adversário arremessa Hudler com o rosto em direção às bordas e ninguém faz nada. Absolutamente nada. Vergonhoso.

Trocar alguém não vai fazer diferença alguma. Ninguém vai querer fazer uma troca, simplesmente nenhum Red Wing vale mais do que uma escolha de terceira rodada e um pacote de alpiste. Alguém sabe quais os melhores prospectos do recrutamento de 2012?

Próximo jogo sábado, e provavelmente iremos perder.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

ah tá

CHUTA A PORRA DO DISCO!!!

E esse foi o relato do jogo de hoje. Seis derrotas seguidas (e contando).

terça-feira, 1 de novembro de 2011

14

Então o Beto pediu um Brendan Shanahan, um atacante diferenciado que chute qualquer disco que veja pela frente e anote 40 gols por temporada.

Entra em cena Gustav Nyquist, o dono da camisa #14 (haha, Derek Meech), autor de 37 gols nos dois últimos anos de faculdade (75 jogos), com 4 gols e 5 assistências nos nove jogos que disputou em Grand Rapids neste ano.

Nyquist chega chegando, já na segunda linha (aliás, esse é seu time


Zetterberg-Datsyuk-Holmstrom
Bertuzzi-Franzén-Nyquist
Cleary-Filppula-Eaves
Miller-Helm-Abdelkader

Lidstrom-White
Kronwall-Kindl
Stuart-Ericsson

Howard no gol)

e também vai jogar na unidade de vantagem numérica. Seria a segunda aparição de Shanahan? Não, mas pode ser a primeira aparição de Gustav.

21hs30 de Brasília, na Joe Louis Arena, mais uma vez contra Minnesota (a milésima, aparentemente).