Contagem regressiva para a Copa.

 Contagem regressiva para a Copa.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Agora vai?

Ei, é verdade que a Liga finalmente propôs metade pra cada lado (franquias vs. jogadores) e a temporada vai seguir com os 82 jogos normalmente?

Sim, hoje a NHL apresentou uma proposta em que as Rendas Relacionadas ao Hóquei (HRR) são divididas em 50% para cada lado. A proposta valeria por seis anos, com opção para um sétimo.

Legal, se os atletas não aceitarem é porque são adultos mimados.

Calma lá. Lembre-se que sempre que falamos em porcentagens discutimos a famosa (e obscura) HRR. Antes de podermos falar se essa oferta é justa ou não, precisamos saber de que forma a HRR vai ser calculada.

Como já explicamos, a HRR não é a renda de tudo que entra em nome da NHL, pois alguns itens são deduzidos da conta. As deduções são significativas, tanto que, se no Acordo Coletivo expirado os jogadores recebiam entre 54 e 57% da HRR, isso era equivalente a apenas 50% da renda total.

Ou seja, se o cálculo de HRR continuar o mesmo, os 50% oferecidos não corresponderiam realmente à metade das receitas. Se a proposta acabar com as deduções, aí sim os 50% correspondem à realidade e os jogadores podem conversar.

Mas sinceramente, alguém acha que os proprietários teriam passado esse mês todo fazendo escarcéu apenas para mudar uma definição sem aplicação prática nenhuma? A oferta que a NHL pôs na mesa deve estar num meio termo, quem sabe diminuindo as deduções, mas não as excluindo por completo.

Pô, deixa eu ficar feliz...

Não sou pessimista, só espero para ver o que vai acontecer. Os representantes dos atletas vão analisar a proposta e devem dar uma resposta amanhã ou depois. Até agora, só disseram "Excelente começo", que é muito melhor que o "morram" que falaram da outra vez.

Além da divisão de receitas, o que mais traz a proposta?

Foi retomado o foco daquela primeira proposta, lidando com duração de contrato e coisas assim. Dessa vez a proposta não tem tons escravagistas, e tem como pontos principais:

  • mudança na duração do primeiro contrato (alguns dizem 2 anos, outros dizem 4);
  • limite de 5 anos para cada contrato;
  • atletas se tornam agentes-livres aos 28 anos, ou com oito temporadas na Liga;
  • manutenção da arbitragem; e
  • determinados salários da AHL contariam contra o teto da NHL.
E os jogadores vão ter redução salarial?

Sim, é impossível ter uma redução na porcentagem dos atletas sem reduzir seus salários, seja ela feita no próprio contrato ou por meio da caução.

Fontes indicam que atletas que tem contratos de longa duração serão recompensados por qualquer perda que tenham nessa temporada, por meio de pagamentos em até 10 anos. Essa ideia parece boa, até pensarmos que um moleque que hoje tem 13 anos daqui a pouco vai pagar o salário do Martin Brodeur (de onde você acha que vai sair esse dinheiro?)

Uma redução leva à diminuição do teto salarial, mas executivos disseram que, para a próxima temporada, um teto de transição de $70 milhões pode ser aplicado.

O que os atletas acham disso tudo?

O jornalista Adam Jahns falou com Steve Montador, que disse que a proposta da NHL realmente inclui uma redução no HRR (ou seja... pois é). Em geral, os jogadores sentem que essa é a primeira proposta séria que a Liga apresentou, e acham que é um bom ponto de partida para as próximas conversas.

A pergunta é: por que não fizeram isso em julho?

---

(História paralela, mas que facilita a compreensão de algumas coisas.

Ontem o site Deadspin divulgou a informação, passada por um torcedor da NHL, que um grupo de consultoria foi contratado pela Liga para organizar grupos de pesquisas -- aquelas enquetes tipo "quando você pensa na NHL o que te vem na cabeça" -- e tomar uma percepção mais próxima da opinião pública em relação ao locaute.

O que isso tem a ver com qualquer coisa? O "lema pessoal" de Frank Luntz, fundador e dono da empresa, é "Não importa o que você fala, e sim o que eles ouvem". Ou seja, o grupo de consultoria é especializado em manipular verdades -- não "mentir", "MANIPULAR VERDADES".

Foi a empresa de Luntz que ajudou o UFC a ter público em arenas, e não só no pay-per-view; que ajudou a NFL a colocar a culpa em seus atletas pelo locaute do ano passado. Envolvido também em política, é por causa de Luntz que nos Estados Unidos ninguém mais fala em "aquecimento global", e sim "mudanças climáticas". Basicamente, o cara é especialista em construir argumentos e arquitetar a mentalidade coletiva, e usa isso para melhorar a imagem das companhias que o contratam.

E agora a NHL aparece com essa proposta. "Os times podem gastar num período de transição, vamos devolver salários por uma década, vamos dividir a renda ao meio". Se você não acha que essa forma de apresentar a proposta é ideia de Luntz, você é muito inocente.

/teoria da conspiração OFF)

Um comentário:

junior disse...

Bom, trabalho Guilherme.